Visite tambem o novo Blog.

Visite tambem o novo Blog Relembre os acontecimentos dos anos 80 a 2000 : http://www.yzbrasil.blog.br/

sábado, 31 de dezembro de 2011

ADEUS ANO VELHO!


Feliz ano novo, a todos amigos, visitantes e colaboradores!!!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Abba - Chiquitita (anos 70)

Um clip antológico que nunca devemos esquecer! "Aline"(1965)




UMA LINDA CANÇÃO FRANCESA, GRAVADA PELO GRANDE CRISTOPHER,
NO INÍCIO DOS ANOS 60. ESSA MÚSICA TEVE DUAS VERSÕES BRASILEIRAS ; UMA APRESENTADA PELO CANTOR AGUINALDO TIMÓTEO, OUTRA PELA DUPLA SERTANEJA JOÃO MINEIRO E MARCIANO. AGORA ELA ESTÁ SENDO APRESENTADA DE IMPROVISO PELO POETA LETRISTA : MARCOS DI JURIPIRANGA.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Elis Regina E Jair Rodrigues - Pout Pourri - Dois Na Bossa, 1965 (com le...

Vinheta FIM DE ANO GLOBO (1976) - 'Novo dia, novo tempo'

Vinheta com o elenco da Rede Globo, esta da década de 1970s.
Aparecem no vídeo, entre outros artistas da emissora na época, Tarcísio Meira, Gloria Menezes, Sandra Brea, Mièle, Ziembinski, José Lewgyoy, Claudio Cavalcanti e atores das novelas da Globo de 1976, como Antonio Fagundes (Saramandaia), Ney Latorraca. Françoise Forton e Suely Franco (Estúpido Cupido) e Edwin Luisi, Mario Cardoso, Gilberto Mestrinho e Isaac Bardavid (Escrava Isaura), e personagens dos programas de TV, como "Sítio do Picapau Amarelo" e "Planeta dos Homens" e até bailarinas do "Fantástico", entre outros.

CHICO ANYSIO - previsões para o Ano Novo (1977)


No seu quadro semanal, no Fantástico, em dezembro de 1977, Chico Anysio fazia algumas "previsões" para o ano de 1978,

Nas paradas do sucesso no Brasil em 1968

Massachusets (Bee Gees) 


 Ciúme de Você (Roberto Carlos)



ANDANÇA (Beth Carvalho e Golden Boys) 

ANO NOVO, VIDA NOVA!!!


Dentro de alguns dias, rápido como um trem bala,

Um Novo Ano vai chegar a esta estação.

Se não puder ser o maquinista, seja o seu mais divertido passageiro.

Procure um lugar próximo à janela.

Desfrute cada uma das paisagens que o tempo lhe oferecer, com o prazerde quem realiza a primeira ou a última viagem.

Não se assuste com os abismos, nem com as curvas e pedras que não lhe deixam ver os caminhos que estão por vir.

Procure curtir a viagem da vida, observando cada arbusto, cada riacho, beirais de estrada e tons mutantes de paisagem.

Desdobre o mapa e planeje roteiros.

Preste atenção em cada ponto de parada e fique atendo ao apito de partida.

E quando decidir descer na estação onde a esperança, a amizade ou o amor lhe acenar, não desista...

Desembarque nela, junto com os seus sonhos.



QUE SUA VIAGEM POR 2012 SEJA DE PRIMEIRA CLASSE!!!

Quero agradecer sua visita, sua amizade e colaboração neste ano que se encerra e que nossa amizade se estreite mais ainda neste novo ano que se inicia.
Que todas boas energias estejam presentes durante todo o novo ano em sua vida,
Que tenha  muita saude,  paz, realizações, alegrias, prosperidade, muito amor,  e muita diversão!!!

A cada dia de nossa vida, aprendemos com nossos erros ou nossas vitórias, o importante é saber que todos os dias vivemos algo novo. 
Que neste novo ano, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus.




Feliz ano novo!!!

Este ano, quero paz no meu coração,
quem quiser ter um amigo.
que me dê a mão...


Jovem guarda-The Fevers




Mariângela Cândido

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

CORAL - QUERO VER VOCÊ NÃO CHORAR ( LEGENDADO ).


Antigo comercial de natal do Banco Nacional "Quero ver você nao chorar"

NATAL DO BANCO NACIONAL. QUERO VER VOCÊ NÃO CHORAR NÃO OLHAR PRA TRÁS , NEM SE ARREPENDER DO QUE FAZ. QUERO VER O AMOR CRESCER MAIS SE A DOR NASCER, VOCÊ RESISTIR E SORRIR SE VOCÊ PODE SER ASSIM TÃO ENORME ASSIM EU VOU CRER QUE O NATAL EXISTE, QUE NINGUEM É TRISTE QUE NO MUNDO HÀ SEMPRE AMOR BOM NATAL , UM FELIZ NATAL MUITO AMOR E PAZ PRA VOCÊ.




antigo comercial de natal do banco

Wilson Simonal Jingle de Natal da Esso anos 60

Natal das Crianças -Tradicão brasileira.




Natal das Crianças.(Black-Out/Blecaute)
Trio Madrigal e Trio Melodia.
Coleção Disquinho - Cantigas de Natal - 1960.
Arranjo Paulo Tapajós
Orquestraçao - Radamés Gnattali.

Canção Natalina Tradicional do Brasil
Brazilian Tradicional Christmas Carol
A todos um FELIZ NATAL!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

PARA OS AMANTES DA BOA MÚSICA....

As vezes somos supreendidos com alguns e-mails, este é um deles, músicas da mais alta qualidade, que você poderá ouvir sem deixar de executar outras tarefas em seu computador, elas vão se sucedendo automáticamente para seu deleite.

Vale a pena! O que é de bom gosto deve sempre ser compartlhado. Espero que gostem!

65 MELODIES ORCHESTRALE SUPERBE

É só acessar o site abaixo e ouvironfira:

http://www.saigonocean.com/nghenhacHoaTau/jukebox.swf

Enviado por Nelson Bassanetti

Para os saudosistas de plantão,imagens do oeste americano

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Sérgio Reis


Para os quarentões, cinquentões, sessentões, setentões...de plantão, Panela velha é que faz comida boa!!!





Paulistano nascido no tradicional bairro de Santana, fez parte da Jovem Guarda na década de 1960, criando em 1967 a música "Coração de papel". Gravou seu primeiro disco de música sertaneja com a música "Menino da gaita" em 1972. Seguiu-se o sucesso de "Menino da Porteira", "Adeus Mariana", "Disco Voador", "Panela Velha", "Filho Adotivo", "Pinga ni Mim" e várias outras canções. Seu disco "O Melhor de Sérgio Reis", lançado em 1981, vendeu mais de 1 milhão de cópias.
No ano de 2002, Sérgio Reis prestou uma homenagem a Roberto Carlos, com o CD intitulado "nossas canções", onde "Serjão" interpretou músicas gravadas pelo Rei Roberto Carlos, de autoria deste em parceria com Erasmo Carlos e de outros compositores.
No ano de 2003, Sérgio Reis gravou seu primeiro DVD, intitulado "Sérgio Reis e filhos - violas e violeiros", e como o próprio título diz, "Serjão" teve seus filhos como músicos na apresentação.
Em 2010, para comemorar os mais de 40 anos de parceira, Sérgio Reis e Renato Teixeira lançaram o álbum (CD e DVD) ao vivo Amizade Sincera, que reuniu clássicos da música sertaneja.
[editar]Carreira como ator
Como ator, trabalhou em algumas telenovelas, como Pantanal e A História de Ana Raio e Zé Trovão, na extinta TV Manchete, e Paraíso" e "O Rei do Gado, na Rede Globo. Seu último trabalho como ator foi na telenovela Bicho do Mato, na Rede Record.
Na telenovela "O Rei do Gado", o personagem de Sérgio fazia uma dupla sertaneja com o personagem de Almir Sater, e a dupla era denominada na telenovela "Pirilampo & Saracura", tendo gravado, inclusive, músicas para a trilha sonora.

http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9rgio_Reis











FOTO DO MARANHÃO ATLÉTICO CLUBE (1958)



1958 - O time é do Maranhão Atlético Clube que era formado por jogadores amadores que moravam nas proximidades da Rua Maranhão após o Hospital Padre Albino. Estão na foto  de pé e da esquerda para a direita: Mixo, Alcyr Azzoni, Bongiovanni, Basílio, José Perez Perez e Daniel. Agachados: Samuel, Milton Figueiredo, Meloso e os irmãos Décinha e Gulica da família Natalino.

Nelson Bassanetti

http://www.catanduvacidadefeitico.com.br/exibemateria.php?noticia_id=274

FOTO DE AMIGOS NO BAILE "SINHÁ MOÇA"(1963)


1963 - A foto é de um grupo de amigos e foi colhida no Baile "Sinhá Moça" evento que os contabilistas do Ginásio Catanduva realizavam todo ano no mês de junho para angariar fundos para as despesas de formatura. Estão na foto: Luiz Benedito Prata, Josè Ângelo Tonini, Turco Vertoni, José Lúcio Magatti, Rubens Fernandes (Rubinho), Delmar Sabino, Caio Barbosa e Dudu Monteleone.


Nelson Bassanetti

http://www.catanduvacidadefeitico.com.br/

Francis Hime - Minha Namorada (Carlos Lyra/Vinícius de Moraes) - Instrum...





Representante da melhor geração de compositores surgida no Brasil, desde o fim da década de 1920, Francis Hime assumiu o papel de um dos principais protagonistas da música popular brasileira a partir da primeira metade dos anos 60.
Francis Victor Walter Hime (Rio de Janeiro, 31 de agosto de 1939) é um compositor, arranjador, pianista e cantor brasileiro. Possui formação em composição, regência, harmonia e arranjo.

Esso ópera anos 60

Tão bom que foi o Natal (Chico Buarque- 1967)





Esse disco era dado aos clientes da imobiliária Clineu Rocha. De um lado do disco há a música 'Tão bom que foi o natal' composta e cantada pelo Chico Buarque, do outro há faixas de jingles da imobiliária. O brinde era referente ao natal de 1967.

natal de cavaquinho - Boas festas.



Esta música resistiu ao tempo,  atravessando gerações.  Foi composta por Assis Valente em 1933, ou seja, quase 80 anos!!! É considerada o "hino de natal brasileiro" por ídolos da época como Carmem Miranda,Orlando Silva, Francisco Alves e Elizeth Cardoso.
Aqui tocado em gostos rítmo de samba, com cavaquinho, para caracterizar o natal brasileiro. Muito bom!!!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Suplício de uma Saudade (1955), Um dos filmes mais românticos das telas cinematográficas!







Sinopse


Esta é uma das mais lindas e famosas histórias de amor das telas cinematográficas. Ambientado em Hong Kong durante a Guerra da Coréia, o filme narra a história de um correspondente de guerra americano (William Holden) e seu amor por uma linda médica eurasiana (Jennifer Jones). À medida que seu amor cresce, surgem problemas para atrapalhar sua felicidade. Ele deixou uma esposa em casa, e ela enfrenta a desaprovação de sua família e amigos. O destino também não parece querer ajudar. Todo o exótico esplendor de Hong Kong foi brilhantemente capturado pela magnífica fotografia de Leon Shamroy, e a trilha sonora vencedora vencedora do Oscar® (Melhor Trilha Sonora, 1955) e a canção título (Melhor Canção Original, 1955) está entre as melhores já compostas para o cinema. Suplício de uma Saudade é indiscutivelmente um ponto alto da melhor tradição em filmes românticos de Hollywood.

http://www.interfilmes.com/filme_21063_suplicio.de.uma.saudade.html

"Um Bonde Chamado Desejo", filme de 1951





("Blanche DuBois chega à New Orleans para visitar a irmã grávida, Stella, e o cunhado, Stanley Kowalski. Para chegar ao apartamento da irmã, ela precisa pegar o bonde chamado 'Desejo' ('Desire' é uma rua de New Orleans)" . . .)


A Streetcar Named Desire (br: Uma Rua Chamada Pecado / pt: Um Eléctrico Chamado Desejo) é um filme norte-americano de 1951, do gênero drama, dirigido por Elia Kazan, e com roteiro baseado na peça Um Bonde Chamado Desejo,e Tennessee Williams.

Sinopse:

Blanche DuBois é a personagem principal da peça e do filme A Streetcar Named Desire
É a irmã frágil e desequilibrada de Stella, que passa um tempo morando com ela e acaba entrando em conflito com o cunhado Stanley Kowalski por não admitir seus modos selvagens e de seus amigos. Este logo desconfia da suposta "fraqueza nervosa" de Blanche e de seu misterioso passado e acaba se empenhando em descobrir a verdade quando ela passa a se relacionar com Harold Mitchell.
Ela já foi representada pelas atrizes Jessica Tandy (no teatro, onde ganhou o Tony Award), Vivien Leigh (no teatro e no cinema, onde ganhou o Oscar e outros prêmios) e Jessica Lange (em um filme para a televisão).
Vivian Leigh teve um desempenho brilhante no papel, chamando a atenção também porque na vida real era maníaca-depressiva (embora na época se dizia "doença dos nervos"), tendo sido tratada durante muitos anos pela terapia do eletro-choque.

Perfil Psicológico

Blanche é uma personagem complexa por sofrer vários distúrbios emocionais, classificados por ela como "crises nervosas" e que são usados como pretexto para ir morar com a irmã. Porém, no decorrer da história descobrimos verdadeiros problemas psicológicos que resultam em sua internação. Eles provavelmente se iniciaram com o suicídio de seu marido, quando ainda era muito jovem. Além disso, Blanche também se sente atormentada pelo seu passado obscuro e por uma necessidade de se sentir protegida ao lado de um homem, o que se torna cada vez mais difícil, uma vez que já não é mais uma jovem. Seus problemas mentais se manifestam através de uma tendência ao alcoolismo, de vários delírios a respeito de Shep Huntleigh, um milionário que a daria a vida que sempre quis, e de um colapso nervoso.

Elenco principal

Vivien Leigh como "Blanche DuBois"
Vivien Leigh ... Blanche DuBois
Marlon Brando ... Stanley Kowalski
Kim Hunter ... Stella Kowalski
Karl Malden ... Harold 'Mitch' Mitchell
Rudy Bond ... Steve
Nick Dennis ... Pablo Gonzales
Peg Hillias ... Eunice
Wright King ... Colecionador
Richard Garrick ... Médico
Ann Dere ... Matrona
Edna Thomas ... A mulher mexicana
Mickey Kuhn ... Vendedor

Prêmios e indicaçõeMarlon Brando como "Stanley Kowalski"
Oscar (1952)
Vencedor:
Oscar de melhor atriz (Vivien Leigh)
Oscar de melhor atriz coadjuvante (Kim Hunter)
Oscar de melhor ator coadjuvante (Karl Malden)
Oscar de melhor direção de arte (Richard Day)
Indicado:
Ator (Marlon Brando)
Fotografia em preto-e-branco (Harry Stradling Jr.)
Figurino (Lucinda Ballard)
Diretor (Elia Kazan)
Trilha sonora (Alex North}
Filme (Charles K. Feldman)
Roteiro adaptado (Oscar Saul)

Seleção de jogadores de futebol de Catanduva- SESC-1964

1964 - Essa é uma seleção de jogadores de futebol de Catanduva  que representou o  SESC em uma partida realizada em Lins com resultado de 5 a 1. Uma curiosidade: A seleção de Catanduva vencia por 5 a 0 num jogo fácil. Quase no final, Edir resolveu colaborar com os linenses  e marcou propositadamente um gol contra. Estão de pé e da esquerda para a direita: Zeca, Cleomério, Warley, Edir, Márcio Escoboza, Railton, Micho, Arlindo, Ayrton Sylvestre (Fotógrafo) e Zeca Cione. Agachados: Zé Pitaia, Moacyr Figueiredo, Armandinho, Panchinho, Roberto Brida, Godinho, Sérgio Loma e Laici Sabatini. Uma observação: Esse time hoje disputaria Campeonato Brasileiro?

Nelson Bassanetti
http://www.catanduvacidadefeitico.com.br/exibemateria.php?noticia_id=265



quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Programa César de Alencar, grande sucesso nos anos 50





Grande idolo do Rádio fez escola,o proprio Silvio Santos disse que se inspirou nele no inicio de sua carreiar como comunicador.


Cantor, compositor, radialista, locutor e apresentador de rádio e televisão brasileiro nascido em Fortaleza, Ceará, que com sua voz e estilo cativantes, foi campeão de audiência no rádio por mais de 15 anos, popularizando, no Brasil, fórmulas que faziam sucesso nos Estados Unidos, como a parada de sucessos, em Parada dos maiorais, e o programa de calouros, em Cantinho dos novos. Formado em Letras, mudou-se de Fortaleza para o Rio de Janeiro (1939) e no mesmo ano foi trabalhar na Rádio Clube do Brasil. Convidado por Renato Murce para fazer um programa diário como locutor, logo iniciou uma carreira de sucesso. Criou com enorme sucesso, o primeiro concurso de músicas de carnaval (1942), ao lado de Herivelto Martins, Benedito Lacerda e Francisco Alves. Contratado pela Rádio Nacional (1945), passou a trabalhar em locução comercial e narrações, além de participar em pontas em novelas radiofônicas, tendo atuado nas novelas Feche a porta do destino e Uma sombra. Criou um programa César de Alencar, onde se apresentavam as grandes estrelas das duas décadas seguintes. Entre as inovações que trouxe para o rádio brasileiro estava a entrevista ao vivo por telefone, recurso usado até hoje. Gravou o compacto Você não tem vez/Arrependimento (1950), em 78 rotações, e fez a transição para a TV logo nos primeiros momentos da TV Tupi (1950), embora nunca conseguisse alcançar o sucesso de seus programas de rádio. Sua imagem histórica ficou inteiramente desgastada após o Golpe Militar (1964), quando foi acusado de delatar colegas de profissão que se opunham ao novo governo ditador.
 Afastou-se da Nacional (1964-1976), ao ser acusado de perseguir os colegas de rádio que não apoiaram a Revolução de 3l de março, até que foi escolhido para assistente da superintendência da Radiobrás (1976), empresa criada para centralizar as emissoras oficiais, entre elas, a própria Nacional. Morreu no Rio de Janeiro e, desgraçadamente, hoje vem sendo lembrado mais por sua colaboração com os órgãos de repressão a partir do golpe militar do que por seus feitos no rádio.

http://www.orkut.com/

Garota bossa nova- César de Alencar



Campanha de Jango,Show do voto livre- animação César de  Alencar




Injustiça com proprietários de cadeiras cativas do Maracanã..

Maracanã, Copa do mundo 1950


Maracanã 1950
A Copa de 1950 estava próxima e não havia verba para terminar a construção do Maracanã. Desespero total!
Criaram -se então as cadeiras cativas e puseram á venda para arrecadar verba necessária para finalizar as obras. Os compradores, teriam direito perpétuo, (podendo-se passar de pai para filho), ao uso gratuito em lugares privilegiados. A aquisição do lugar dava e continua dando direito ao dono de assistir e participar de qualquer evento no Maracanã. Desde jogos até shows. 
Cada cadeira desta, custava na época o equivalente a um bom apartamento de frente ao mar em praias privilegiadas do Rio de Janeiro.Para vocês verem, não era pouca coisa não!
Nada mais justo do que os donos de cadeiras cativas terem o direito perpétuo ao uso delas gratuitamente. Afinal, cada um deles é "sócio proprietário" do Maracanã,  não acham?
Mas o desrespeito com nossos co-proprietários do Maracanã é vergonhoso!
O Maracanã passa por reformas para a copa de 2014 e as cadeiras foram  retiradas dos seus respectivos lugares e os proprietários não estão sendo informados para qual local serão colocadas as mesmas.
Na época que o Brasil se candidatou à sede da Copa do Mundo de 2014, para o local ser um dos estádios na competição, foi feito um contrato, e na cláusula deste documento, a FIFA teria exigido que os lugares perpétuos não poderiam ser utilizados durante o Mundial.
Quer dizer que os donos de cadeiras cativas terão que pagar ingresso para assistir os jogos da copa???
Não dá para acreditar num absurdo deste!!!
Pera aí, a FIFA não é uma entidade brasileira,e não pode mandar e desmandar a "bel prazer"!
E o Brasil? Não tem "peito" para impor sua soberania?
Abaixam o rabo e o enfiam no meio das pernas,  sob a ameaça da FIFA de transferir a sede da copa para a Inglaterra, obedecendo á todas imposições!  Alem de inutilização das cadeiras cativas, impõem  liberação de bebidas alcoólicas (Só da marca que tem contrato com a FIFA) nos estádios e ausência de policiamento dentro dos estádios durante os jogos, por considerarem nossa polícia muito violenta.
O eleitor brasileiro jamais aceitaria que o Brasil perdesse a sede da copa, e se isso acontecesse, só muita bolsa família para não acabar com  política 'dilmística" ou "lulística"...
Lembram daquele hino, "A Copa do mundo é nossa"? Foi uma adaptação de "A taça do mundo é nossa" em 1962.
Este hino não será entoado com tanta empolgação e fervor como outrora, por alguns brasileiros atualizados e concientes, incluindo os proprietários de cadeiras cativas. É lamentável!

Mariângela Cândido




Vídeo do Museu do Futebol sobre a derrota do Brasil na Copa do Mundo de 1950 no Maracanã



Estádio Jornalista Mário Filho, mais conhecido como Maracanã, o popular Maraca ("semelhante a um chocalho" em tupi-guarani, devido ao som de pássaros que viviam por ali[5]), é um estádio de futebol localizado no Rio de Janeiro e inaugurado em 1950, tendo sido utilizado na Copa do Mundo de Futebol daquele ano. Desde então, o Maracanã foi palco de grandes momentos do futebol brasileiro e mundial, como o milésimo gol de Pelé, finais do Campeonato Brasileiro, Carioca de Futebol, Taça Libertadores da América e do primeiro Campeonato Mundial de Clubes da FIFA, além de competições internacionais e partidas da Seleção Brasileira. Foi um dos locais de competição dos Jogos Pan-Americanos de 2007, recebendo o futebol, as cerimônias de abertura e de encerramento. Sediará o futebol e as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados na cidade do Rio de Janeiro.[6] É também o provável palco da partida final da Copa do Mundo FIFA de 2014.
O nome oficial do estádio, Mário Filho, foi dado em homenagem ao falecido jornalista carioca, irmão de Nelson Rodrigues, que se destacou no apoio à construção do Maracanã.
Ao longo do tempo, no entanto, o estádio passou a assumir caráter de espaço multiuso ao receber outros eventos como espetáculos e partidas de outros esportes, como o voleibol em uma oportunidade. Após diversas obras de modernização, a capacidade atual do estádio é de 82 238 espectadores, sendo o maior estádio do Brasil.


http://www.sidneyrezende.com/noticia/102115+proibicao+do+uso+das+cadeiras+cativas+no+maracana+na+copa+de+2014+preocupa+proprietarios
Wikpédia, a enciclopédia livre.



https://docs.google.com/viewer?attid=0.1&pid=gmail&thid=13442268b8356326&url=https%3A%2F%2Fmail.google.com%2Fmail%2Fu%2F0%2F%3Fui%3D2%26ik%3D230a2ed002%26view%3Datt%26th%3D13442268b8356326%26attid%3D0.1%26disp%3Dsafe%26zw&docid=dbdff2178b983d330260411846ff3683%7C28713c885023c7312865749be5f010dd&a=bi&pagenumber=1&w=800

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Programa Bossaudade-,Cyro Monteiro & Elizeth Cardoso (1965/1966)











Programa com artistas da "velha guarda" apresentado na TV RECORD por quase dois anos (1965/1966). Era comandado por dois ícones da nossa música: ELIZETH CARDOSO e CYRO MONTEIRO e conseguiu a proeza de agradar a todo mundo: super elogiado pelos críticos e adorado   pelo seu público.

Na verdade, o programa foi criado para trazer de volta ao palco os artistas que já estavam sendo alijados do "show business", por não pertencerem aos movimentos musicais que dominavam a época (principalmente a nova MPB e a jovem guarda). Enquanto durou conseguiu resgatar do injusto esquecimento alguns "velhos" intérpretes (como Orlando Silva, Emilinha Borba, Sílvio Caldas, Araci de Almeida, João Dias e outros).



Muitos artistas participaram da atração e despontaram para a fama.

Entre eles, Jair Rodrigues e Originais do Samba, com o Mussum, que foi usado como comediante na “Família Trapo” e depois seguiu para a Globo e entrou nos Trapalhões.

Mas, também era convidada a nova geração de cantores (Elis Regina, Jair Rodrigues, Chico Buarque, etc). Essa mescla foi o grande diferencial do Bossaudade. Era gravado em S.Paulo (no Teatro Record) e começou sob a direção de Manoel Carlos (sim, o consagrado novelista da Globo). Posteriormente (janeiro/66) passou a ser dirigido pelo grande diretor Nilton Travesso. Essa mudança foi feita para que o primeiro voltasse a se dedicar exclusivamente a um outro sucessão da emissora: "O Fino da Bossa".


O programa Bossaudade,  teve grande êxito por quase dois anos. Terminou o ano de 1966

http://jovempan.uol.com.br/entretenimento/2011/04/dois-diretores-elizeth-cardoso-e-a-bossaudade.html
http://www.anosdourados.blog.br/2011/11/fatos-programa-de-tv-bossaudade-tv.html

http://www.mpbnet.com.br/musicos/elizeth.cardoso/

Meus sinceros votos de um Feliz Natal para todos!





Mariângela Cândido

Por onde anda o Grupo ABBA?


Quem não ouviu'The Winner Takes it All' nos encontros românticos? Colocaram  polainas para fazer ginástica ao som de 'Voulez-Vous'? Ou ainda sacudiram suas calças boca-de-sino quando o DJ colocava 'Dancing Queen' nas discotecas?

As músicas do quarteto sueco ABBA, que viraram febre mundial nos anos 70, seguem reinantes ainda hoje, com seus sucessos revisitados através de covers e até de um musical, 'Mamma Mia!', que virou filme estrelado por Meryl Streep e Pierce Brosnan. Graças ao filme, o grupo, que já vendia 3 milhões de discos por ano, entrou para a história em agosto de 2008 com o álbum mais antigo a ocupar a primeira posição nas paradas britânicas, o 'Gold - Greatest Hits' (coletânea lançada em 1992).

Mas, apesar dos apelos dos fãs, o ABBA, formado por Björn Ulvaeus, Benny Andersson, Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad (também conhecida como Frida), não pretende voltar aos palcos. "Dinheiro não é problema. Nós queremos que as pessoas lembrem de nós como éramos: jovens, exuberantes, cheios de energia e ambição", disse Björn em entrevista, este ano, na época do lançamento de 'Mamma Mia!', quando os quatro se reuniram com o elenco do filme para a estréia em Estocolmo.

A história do ABBA começou em 1969, quando Björn e Benny conheceram as parceiras Agnetha e Frida. Com elas, formaram não só o grupo musical, como também famílias. Björn se casou com Agnetha, e Benny, com Frida. Durante mais de dez anos, eles rodariam o mundo cantando juntos, conseguindo manter certa discrição em relação às suas vidas pessoais. Não se tem notícias de brigas, tanto entre os casais, como entre os integrantes (apesar de um vídeo no YouTube mostrar Frida dando uma cotovelada em Agnetha). No entanto, nenhum dos dois casamentos deu certo: Björn e Agnetha se separaram em 1979, enquanto Benny e Frida ficaram juntos até 1981. O grupo tentou, ainda, continuar junto depois dos divórcios, mas em 1982, anunciaram o fim do ABBA.

Depois disso, Björn e Benny chegaram a escrever juntos alguns musicais, entre eles o sucesso 'Mamma Mia!', enquanto Agnetha e Frida tentaram reviver suas carreiras solo. No entanto, nenhum dos quatro chegou perto do sucesso alcançado pelo ABBA que, em 2009, será imortalizado com a abertura de um museu: o ABBA Museum.

BJÖRN ULVAEUS
Tem hoje 63 anos. Depois de se separar de Agnetha, casou-se novamente com Lena, que sofre de leucemia. A saúde do músico também não é das melhores, pois tem sofrido com a perda de memória. Dizem que já esqueceu de vários fatos de sua carreira no ABBA, inclusive prêmios que o grupo ganhou. Comanda uma pequena empresa aérea e não tem a menor intenção de voltar aos palcos.

ANNI-FRID LYNGSTAD (FRIDA)
Única a estar aberta a uma reunião do ABBA. Tem 62 anos, mora nos alpes suíços e é uma exímia esquiadora. É viúva de seu segundo marido, que morreu de câncer. Gravou pela última vez em 2004 em um CD do ex-tecladista do Deep Purple, Jon Lord. Dedica-se a causas sociais.

BENNY ANDERSSON
É o único que ainda trabalha com música. Sua banda, Benny Anderssons Orkester, gravou quatro álbuns, o último deles em 2007, ao vivo. No repertório, canções originais, folk sueco, sucessos americanos e, eventualmente, músicas do ABBA. Produziu a música de 'Mamma Mia', inclusive tocando piano nas versões gravadas para o filme. Está com 61 anos.

AGNETHA FÄLTSKOG
A mais nova e reclusa do ABBA, Agnetha está com 58 anos e raramente aparece em público. Desde que gravou o álbum 'My Colouring Book', em 2004, ela parou de dar entrevistas. Sua aparição de mãos dadas com Frida, durante a premiére de 'Mamma Mia', em Berlim, causou frisson. As duas chegaram a dançar ao lado de Meryl Streep no tapete vermelho.

http://hipersessao.blogspot.com/2010/05/por-onde-anda-o-grupo-abba.html







Veja mais:
http://clubedosentasdecatanduva.blogspot.com/2011/04/abba-sucesso-nos-anos-70.html



segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Atrizes contam como foi dar o primeiro beijo de suas vidas



Glória Pires, Bruna Lombardi, Nadia Lippi e até a veterana Henriqueta Brieba revelam quando e como foi o primeiro beijo. Elas contam histórias curiosas e divertidas sobre esse momento marcante.
http://porondeanda.multiply.com/video/item/74/Atrizes_primeiro_beijo

Época de Ouro do Corinthians

O Brasão
Em 1933, por causa do incremento dos esportes aquáticos, foram acrescentados âncora e o par de remos dando o visual que é consagrado e admirado até hoje. Com o tempo foi ganhando formas (estrelas) com diversas conquistas corinthianas.

Um pouco sobre a história da fundação do Corinthians:

A idéia da fundação de um clube no Bom Retiro era assunto preferido dos funcionários da estrada de ferro São Paulo Railway e moradores, sem exceção do bairro. E isso começou a amadurecer quando Joaquim Ambrósio, Carlos Silva, Rafael Perrone, Antônio Pereira e Anselmo Correia foram juntos, assistir no campo do Velódromo a estrela do time inglês Corinthian (sem o s final) Team, na tarde de 31 de agosto de 1910.

Os ingleses derrotam a Associação Atlética das Palmeiras (nenhuma ligação com o Palestra Itália), por 2x0.
Voltaram do jogo maravilhados e com o pensamento mais forte na criação de um time de futebol no Bom Retiro.
 Fundação

Um grupo de homens  de vida humilde - os pintores de casa Joaquim Ambrósio, Antônio Pereira e César Nunes; o sapateiro Rafael Perrone; o motorista Anselmo Correia; o fundidor Alexandre Magnani, o macarroneiro Salvador Lopomo, o trabalhador braçal João da Silva e o alfaiate Antônio Nunes - decidiram fundar o seu próprio clube de futebol.

Assim, às 20h30m do dia 1° de setembro, à luz do lampião de gás, altura do número 34 que iluminava a da Avenida dos Imigrantes (atual José Paulino), no Bom Retiro, treze pessoas sacramentaram a fundação do Sport Corinthians Paulista, eles se reuniram e redigiram o primeiro estatuto do clube. Faltava apenas financiamento para o sonho se realizar. Foi aí que Miguel Bataglia entrou em cena. Bataglia era um requintado alfaiate; aceitou participar e foi oficialmente nomeado o primeiro presidente.

O clube já tomava uma cara, mas faltava o nome. As idéias passaram por Santos Dummont, Carlos Gomes e até Guarani, mas nenhuma delas foi escolhida. Foi então que Joaquim Ambrósio sugeriu homenagear o famoso time inglês que fazia uma excursão pelo país: o Corinthian Football Club. O clube que se tornaria o mais querido do Brasil já tinha nome. A torcida e a imprensa chamavam a equipe de Corinthian’s Team. Assim, a letra "s" foi acrescentada ao nome, e o clube ganhou o elegante nome Corinthians.

Presidentes do Timão dos anos 50,60 e 70

Alfredo Ignacio Trindade: 1948 a 1959
Vicente Matheus: 1959 a 1961
Wadih Helu: 1961 a 1971
Miguel Martinez: 1971 a 1972
Vicente Matheus: 1972 a 1981

O Primeiro hino do Corinthians
Gravado em 1930 por Guarani e Pirajá, com letra de Eduardo Dohmen.Música de La Rosa Sobrinho. Muito diferente do hino atual






Time do Corinthians nos anos 50



1-Noronha, Luizinho Pequeno Polegar, Nardo, Nelsinho,                                                               A chamada “camisa babador”. De acordo com o almanaque da Placar Digital, foi deste uniforme que se originou o uniforme reserva do Timão. Vemos aí um primeiro ensaio, um tanto bizarro, do que se tornou uma das nossas paixões, o uniforme 2, que talvez pela prevalência da cor preta, seja sempre o queridinho da Fiel. Há quem afirme que sente mais identificação com segundo uniforme. Por alguma razão, eu também sempre os considero mais bonitos, menos esse, que está no máximo engraçadinho vai…

1950 - 1954:  Época de Ouro:   Em 1950, ano da disputa da Copa do Mundo de futebol no Brasil, a equipe foi campeã pela primeira vez do Torneio Rio-São Paulo, competição disputada entre as principais equipes dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em 1951, no Campeonato Paulista, a linha de frente composta por Carbone, Cláudio, Luisinho, Baltasar e Mário marcou 103 gols em 28 partidas. Com esse desempenho, a equipe conquistou o título, além de ter Carbone como maior marcador da competição, com 30 gols. O clube venceria também o título paulista de 1952.
Em 1953, num torneio realizado na Venezuela, o Corinthians conquistou sua primeira competição envolvendo equipes de diferentes continentes, a Pequena Taça do Mundo. Na ocasião, o Corinthians foi a Caracas, capital venezuelana, e conseguiu seis vitórias consecutivas, contra as equipes da AS Roma, do FC Barcelona e da Seleção de Caracas. Também em 1953 conquistou novamente o Torneio Rio-São Paulo. Em 1954 o Corinthians recebeu a Taça do IV Centenário de São Paulo ao conquistar o campeonato estadual. No mesmo ano, alcançaria o bicampeonato do Torneio Rio-São Paulo.
1955 - 1976: O jejum
Entre 1955 e 1977, o futebol do clube somente conquistou uma competição dentro do país: o Torneio Rio-São Paulo de 1966 (dividido com Botafogo, Santos e Vasco, em virtude da Copa do Mundo na Inglaterra; os quatro times eram semifinalistas, porém a Copa tornou impossível o término da disputa). Nesse período, os seguidores do Corinthians receberam o apelido 'Fiel Torcida'. Também nesse período, o Santos FC, de Pelé, dominava o futebol na época, conquistando 2 libertadores e 2 mundiais interclubes (1962-1963).
Uma das lendas mais conhecidas do Corinthians é a suposta maldição lançada por Pelé: O time fora o campeão paulista do quarto centenário da cidade de São Paulo, em 1954. O menino Pelé foi apresentado, logo em seguida ao time e recusado. Jurou que enquanto jogasse futebol, o Corinthians não seria campeão paulista. 23 anos depois, em 1977, Pelé abandonou definitivamente os gramados e o Corinthians naquele ano voltou a ser campeão paulista.[nota 11] conseguiu estabelecer a marca de onze anos sem ser vencido pelo Corinthians por campeonatos paulistas.
O clube conseguia vencer algumas competições fora do Brasil, como o Torneio de Torino (1966 e 1969), o Torneio Costa do Sol (1969) e o Torneio Internacional de Nova Iorque (1969). Porém, todas eram competições amistosas.
Em 1971 começou a ser disputado o Campeonato Brasileiro. O Corinthians conseguiria, nas duas primeiras edições, o 4º lugar. Nos dois anos seguintes suas campanhas não tiveram tal nível, melhorando em 1975 quando o clube alcançou a 6ª colocação, porém em 1976 o clube conseguiria sua melhor colocação até então, alcançando o 2º lugar.
A invasão corintiana

Nas semifinais de 1976, o Corinthians enfrentou o Fluminense. No dia 5 de dezembro, se disputaria, no Estádio do Maracanã (no Rio de Janeiro) a segunda partida dessa fase da competição. A equipe 'mandante' era o Fluminense, já que a primeira partida foi disputada em São Paulo. Porém, os corintianos, apoiados por torcedores de outras equipes do Rio de Janeiro, compareceram em grande número, chegando a dividir as localidades do estádio com os seguidores da equipe local. Esse fato ficou conhecido como a Invasão corintiana… A partida resultou na classificação do Corinthians para a final, onde terminou sendo derrotado pelo SC Internacional de Porto Alegre.
1977 - 1981: Fim da angústia

No dia 13 de outubro de 1977, no Estádio do Morumbi, o Corinthians, comandado pelo saudoso técnico Osvaldo Brandão (o mesmo técnico do título de 1954), voltaria a ser Campeão Paulista após mais de duas décadas, ao vencer a Ponte Preta por 1 a 0 no terceiro jogo da final, com gol de Basílio.[41] Na penúltima partida da final, que ocorreu no dia 9 de outubro, foi estabelecido o recorde de público do Estádio do Morumbi em um jogo de futebol, ao haver 147.032 pessoas presentes na ocasião

t.wikipedia.org/wiki/História_do_Sport_Club_Corinthians_Paulista#1950_-_1954:_.C3.89poca_de_Ouro

http://www.campeoesdofutebol.com.br/dist_est_corinthians.html

Os apelidos do Corinthians:

O nome é Sport Club Corinthians Paulista, mas como é tradição cultural também existem os apelidos. Os positivos, carinhosos (como Timão e Mosqueteiro) e os depreciativos, cunhados pelos adversários (como galinha preta e gambá). As origens dos que são favoráveis ao time, segundo o Almanaque do Timão, de Celso Unzelte.

Mosqueteiro - São duas versões. A mais antiga, após ter vencido os “três mosqueteiros” do futebol paulista no ano de 1913 (Americano, Germânia e Internacional) – o Corinthians seria o quarto. A outra versão é de 1929, após vencer o Barracas, da Argentina, conquistando sua primeira vitória internacional, sendo ressaltado nos jornais que o time venceu por sua “fibra de mosqueteiro”.

  
Os mosqueteiros usados como mascote ao longo do tempo, com o primeiro e o terceiro tendo sido desenhados pelo cartunista Ziraldo

Timão – A versão popular é a alusão ao escudo, que lembraria o timão de um navio. O apelido só aparece nos jornais em 1966 quando o presidente Wadih Helu contratou Garrincha e outros, formando um “timão”.

São Jorge – Em alusão ao santo padroeiro do time alvinegro.

Charuto – Símbolo dos anos 50, época em que torcedores comemoravam as vitórias acendendo charutos no estádio.

Coringão - Como "Coringão" soa melhor que "Corinthião", a torcida adotou esse nome para se referir ao seu time do coração.
http://blogs.estadao.com.br/centenario-do-corinthians/os-apelidos-do-corinthians/

Os maiores ídolos da história do Corinthians




Vai Timão!



domingo, 11 de dezembro de 2011

"Chove chuva"- Jorge Ben Jor (1963)


O outro sucesso


Chove chuva
 (1963)

Composição: Jorge Ben Jor

Interpretação: Jorge Ben Jor


Música do primeiro LP do cantor, compositor e instrumentista Jorge Ben Jor,  "Samba Esquema Novo" de 1963. Jorge Ben, nome artístico de Jorge Duílio Lima Menezes, posteriormente alterado para Jorge Ben Jor, nasceu em 22/3/1942 no Rio de Janeiro. Interessou-se por música quando a moda musical era a bossa nova e seu ídolo na época era João Gilberto. Compositor e cantor de estilo inconfundível já no início de sua carreira obteve imenso sucesso com "Mas que nada" e "Chove chuva", composições que não tinham nada a ver com bossa nova nem com samba tradicional, pois apresentavam um balanço característico e diferente de tudo. Muitos críticos achavam que sua música era moderna demais, a ponto de haver dificuldade para encontrar músicos para acompanhar as gravações e seus primeiros discos foram gravados com conjuntos de jazz do Beco das Garrafas, o Meireles e o Copa 5. Jorge mostrou-se desde o início de sua carreira um músico inovador. É provavelmente um dos únicos artistas de "unanimidade" nacional. É respeitado e tem seu talento reconhecido por integrantes de todos os movimentos musicais, desde os tempos da bossa nova até os dias atuais. "Mas que nada" foi a única música em português a alcançar o primeiro lugar entre as músicas mais tocadas nos Estados Unidos em todos os tempos. Jorge sempre transitou e foi bem aceito nos diversos movimentos antagônicos dos anos 70 e 80: a turma da MPB comandada por Elis Regina e Jair Rodrigues, a Jovem Guarda comandada por Roberto Carlos e Erasmo Carlos e o Pequeno Mundo de Ronnie Von. Por serem grupos "inimigos" não aceitavam que artista que participasse num grupo viesse a se apresentar nos outros.  A única exceção foi Jorge Ben Jor. 
"Mas que nada" foi gravada por Ella Fitzgerald, Dizzie Gilespie, Julio Iglesias, Al Jarreu, Trini Lopez, José Feliciano, Fred Bongusto, Mina, Nicoletta, Los Hermanos Castro e mais uma centena de outras gravações em diversos países. Jorge Ben Jor teve inúmeros outros sucessos como "País Tropical" gravado inicialmente por Wilson Simonal,"Que pena" grande sucesso de Gal Costa, "Fio Maravilha" imortalizada por Maria Alcina e muitos outros. Realiza frequentemente shows pelo Brasil e outros países. É um dos grandes artistas da MPB.

Dárcio Fragoso
http://www.paixaoeromance.com/60decada/chove_chuva/hchove_chuva.htm










sábado, 10 de dezembro de 2011

"Loira do Banheiro",lenda urbana anos 70





Curta metragem sobre a lenda da loira do banheiro.


Esta lenda urbana é muito famosa entre os alunos de escolas da rede pública na cidade de São Paulo.

 Diz a lenda que uma garota muito bonita de cabelos loiros com aproximadamente 15 anos, sempre planejava maneiras de matar aula. Uma delas era ficar no banheiro da escola esperando o tempo passar. No entando um dia, um acidente terrivel aconteceu. A loira escorregou no piso molhado do banheiro e bateu sua cabeça no chão. Ficou em coma e pouco tempo depois veio a falecer.

 No fim de tudo isso, a menina não se conformou com seu fim trágico e prematuro, sua alma não quis descansar em paz e passou a assombrar os banheiros das escolas. Muitos alunos juram ter visto a famosa loira do banheiro, pálida e com algodão no nariz para evitar que o sangue escorra.

Quase todo mundo, já ouviu falar dela.

Quem nunca ouviu essa lenda, pergunte a seus pais, parentes ou amigos. Algum deles, com certeza conhece essa história assustadora que rondava nos colégios da rede pública.

Rituais:
Cuidado, nunca aperte a descarga por três vezes e nem chute o vaso sanitário com força, pois pode ter uma loira a sua espera, pronta para te atacar.
Para a Loira do Banheiro, aparecer bastava simplesmente realizar esse ritual para que a horripilante, fantasmagórica e sangrenta aparecesse.

Lenda urbana que surgiu dentro dos banheiros das escolas municipais à partir dos anos 70, foi motivo para que muitas crianças e adolescentes não fossem ao banheiro em horário de aula sozinhas.

Nessa história existem várias interpretações sobre a morte da garota e como ela aparece.



Alguns depoimentos:

"Nossa entrei no colégio em oitenta e alguma coisa e já tinha essa historia de loira...
Quando fui p/ o noturno eu trancava as minas no "banheiro da loira" e ficava fazendo barulho só por maldade he he he....
E p/ vc ver como essa coisa de loira fica na cabeça, no dia da eleição (02/10) eu entrei no banheiro só p/ matar saudades das historias da Loira e provar que eu não tinha mais medo dela kkkkk !!!"

"nossa!!!morria de medo de ir no banheiro sozinha,qualquer barulhinho eu sempre saia correndo,e quando dava vontade de ir na hora da aula que não tinha ninguém no patio...só de pensar de ver ela com algodão no nariz,as vezes eu até segurava só para não ter que ir no banheiro sozinha,rsrsrs"

"Affffff, mas nem
Nossa nem me fala dela, que eu morria de medo dela, não entrava sozinha no banheiro de jeito nenhum, mas eu acho q história foi tão impressionante que até hj eu tenho medo...."

Você acredita em lendas urbanas?
Tem alguma história pra contar?

http://contoselendas.blogspot.com/2004/12/loira-do-banheiro_10.html
http://www.vassourando.com/2008/01/loira-do-banheiro-lenda-urbana.html




sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Nelson Gonçalves - A Volta do Boêmio




Nélson Gonçalves (nome artístico de Antônio Gonçalves Sobral, Santana do Livramento, 21 de junho de 1919 — Rio de Janeiro, 18 de abril de 1998) foi um cantor brasileiro. Segundo maior vendedor de discos da história do Brasil, com mais de 75 milhões de copias vendidas, fica atrás apenas de Roberto Carlos, com mais de 120 milhões e Tonico & Tinoco com aproximadamente 150 milhões. Seu maior sucesso foi a canção A volta do boêmio.
A Volta do Boêmio foi composta em 1957 por Adelino Moreira.
O gênero samba-canção era moda nos anos 50 e 60

Virgínia Lane canta "Sassaricando" (1952)

A Vedete do Brasil canta um de seus maiores sucessos, "Sassaricando".

A marchinha foi sem dúvida o maior sucesso do carnaval de 1952.

Nesta cena, Virgínia aparece no auge de seu talento e beleza.

Cena do filme TUDO AZUL de 1952, dirigido por Moacyr Fenelon.

Hebe Camargo e Agnaldo Rayol cantam juntos em filme de Mazzaropi


Filme "Zé do Piriquito", 1960

"Sabiá Na Gaiola" com Adelaide Chiozzo e Eliana (1951)


A dupla musical mais graciosa do nosso cinema, Adelaide Chiozzo e Eliana Macedo canta "Sabiá Na Gaiola", grande sucesso na voz das duas.

Angela Maria 1957 "Mentindo"


Angela Maria, canta no filme "Rio Fantasia" de 1957, direção de Watson Macedo.

Dalva de Oliveira canta "Estrela do Mar" (1952)


A cantora Dalva de Oliveira canta um de seus maiores sucessos, a carnavalesca "Estrela do Mar". tupi cenas inéditas

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

"My Bonnie Mentiras sobre o Oceano"

The Beatles-My Bonnie, ``Club La Caverna´´






"My Bonnie Mentiras sobre o Oceano" é uma tradicional escocesa canção popular , que continua popular na cultura ocidental.

História

A origem da canção é desconhecido, embora seja muitas vezes sugerido que o tema da canção pode ser Charles Edward Stuart ("Bonnie Prince Charlie").
Em 1881, sob o duo de pseudónimos HJ Fulmer e Madeira JT, Charles E. Pratt partituras publicadas para "Bring Back My Bonnie To Me".Theodore Raph em seu livro de 1964 americanos canção tesouraria: 100 favoritos, escreve que as pessoas estavam pedindo a música nas lojas da partitura na década de 1870, e Pratt foi convencido a publicar uma versão dele sob pseudônimo, ea canção se tornou um grande sucesso, especialmente popular com os grupos universitários cantando, mas também popular para todo o grupo situações de cantar.


O maior fenômeno do rock and roll do planeta.  
 Tudo começou em Liverpool, na Inglaterra,onde todos os futuros integrantes do grupo viviam.No final dos anos 50, John e Paul resolveram montar uma banda que se chamou The Quarrymen.Alguns anos depois, Paul convidou o guitarrista George Harrison para se juntar ao grupo, e John convidou o amigo e baixista Stu Sutcliffe.Após muitas mudanças de baterista,Pete Best assumiu o cargo em 1960,durante uma pequena turnê por Hamburgo, cidade na qual chegaram a tocar durante meses em um pequeno bar da cidade em troca de comida e um lugar para dormir.Ainda em 1060,Stu resolve deixar o grupo para retomar seus estudos de arte.Em 1951 o comerciante Briam Epstein,que possuia entre outros negócios uma loja de discos, viu-se intrigado em não poder atender um cliente que pediu o compacto de My Bonie Lies Over THe Ocean,gravado palos Beatles.Epstein acabou por entrar em contato com o grupo para resolver o problema,e descobriu-os em um pub chamado Caverna.Epstein propos-lhes ajuda financeira e acabou por tornar-se empresário do grupo.Acabaram por conseguir um pequeno contrato com a gravadora Parlephone, que influenciou a trca de baterista. Sai Pete Best e entra Ringo Starr.Em 1962 lançam o single Love Me Do que atingiu o décimo-sétimo lugar nas paradas.Please,Please Me,lançado  no ano seguinte, Alcançou o primeiro lugar.O primeiro sucesso nos EUA surgiu em 1964 com a música "I WAnt Hold Your Hand" ,colocando, logo em seguida, todas as suas músicas entre as cinco mais pedidas das paradas norte-americana.Era o início da Beatlemania.Ainda em 1964 lançaram duas produções cinematogr

http://www.webletras.com.br/biografia/the-beatles
http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Beatles



The Beatles e Tony Sheridan- "My Bonnie",1962



"Go Away Little Girl"-American Top 20 (3 vezes)



"Go Away Little Girl" é uma canção popular escrita por Gerry Goffin e Carole King . As letras consistem de um jovem pedindo uma jovem atraente para ficar longe dele, então ele não será tentado a trair sua namorada fixa por beijá-la. A canção é notável para fazer a American Top 20, três vezes: por Steve Lawrence em 1962 (EUA # 1), para o Happenings em 1966 (EUA  e para Donny Osmond , em 1971 (EUA ). É também a primeira música, e um dos apenas nove músicas, para chegar a # 1 EUA por dois artistas diferentes. 

Donny Osmond cover alcançou o número um na parada Hot 100, em setembro de 1971. Ela permaneceu na primeira posição por três semanas. Osmond versão também foi para o # 36 na carta Go-Set australiano.







quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Pedro Malasartes, personagem da cultura brasileira




Filme de lançado em 1960

Pedro Malasartes, Malazartes, ou das Malasartes é um personagem tradicional da cultura portuguesa e da cultura brasileira.
Segundo Câmara Cascudo "Pedro Malasartes é figura tradicional nos contos populares da Península Ibérica, como exemplo de burlão invencível, astucioso , cínico, inesgotável de expedientes e de enganos, sem escrúpulos e sem remorsos.
O personagem chegou ao cinema em As Aventuras de Pedro Malasartes, de 1960, com Mazzaropi no papel principal.
O comediante brasileiro Renato Aragão honrou a influência do personagem em seu trabalho encenando Didi Malasartes no programa Renato Aragão Especial em 1998.

O herói preferido da gente simples, que adora suas artes, quase sempre cotra os mais ricos e poderosos. Tradicionalmente esperto, escorregadio, pai de todas as artimanhas, enganos, seduções e astúcias, é de se ver como o homem do povo, simples, crédulo e humilde, adora ouvir suas histórias.
Vinga-se o popular da sua posição subalterna vendo o personagem sair sempre ganhando, por sua astúcia e por suas artes, dos que lhe são superiores. Uma espécie de Robin Hood sem armas.
Não é criação brasileira, apesar de estar espalhada por todo o Brasil. É personagem universal, praticamente de todos os países, em toda as épocas.
Há até versões ambiciosas, literárias e intelectuais, como, por exemplo, o Pedro de Urdemalas, de Cervantes.
É interessante a origem do primeiro nome do personagem: segunbdo Câmara Cascudo, o nome "de Pedro se associa ao apóstolo São Pedro com anedotário de habilidade, impertubável, nem sempre própria do seu estado e título. Na Itália, França, Espanha e Portugal, São Pedro aparece como simplório, bonachão, mas cheio de manhas e cálculo, vencendo infalivelmente".
Um estudioso reuniu 318 histórias e variantes com o personagem, mas este número pode ser infindo, pois sempre que se conta uma história de algum esperto levando vantagem contra alguém, logo esta história aparece mais adiante como "mais uma do Pedro Malasartes".

http://www.abrasoffa.org.br/folclore/lendas/malasartes.htm
Wikpédia, a enciclopédia livre