Visite tambem o novo Blog.

Visite tambem o novo Blog Relembre os acontecimentos dos anos 80 a 2000 : http://www.yzbrasil.blog.br/

segunda-feira, 30 de julho de 2012

terça-feira, 24 de julho de 2012

Visite o novo Blog!





YZ Brasil é um Blog criado objetivando dar prosseguimento aos acontecimentos posteriores aos abordados neste Blog, que reúne um acervo dos anos 50 a 70.

O Blog YZ Brasil pretende reunir em um só lugar, todos acontecimentos nos trinta anos finais do segundo milênio compreendidos pelos anos 80, 90 e 2000.

Vamos recordar estes anos vividos tambem?

Será um grande prazer receber sua visita neste Blog!


Conheça-o clicando no link abaixo:

http://www.yzbrasil.blog.br/2012/07/geracao-z.html

segunda-feira, 23 de julho de 2012

"Meu Grito", uma canção de Roberto Carlos cantada por Agnaldo Timóteo




Agnaldo Timóteo iniciou sua carreira cantando em programa de calouros em Caratinga- MG, em Governador Valadares e Belo Horizonte onde se tornou conhecido como "Cauby Mineiro". Mudou se para o Rio de Janeiro onde passou a trabalhar como motorista da cantora Ângela Maria, sem deixar de prosseguir sua carreira. Acabou se tornando conhecido nacionalmente por sua voz Ficou famoso ao gravar "Meu Grito", uma composição que Roberto Carlos fez para Nice, sua primeira esposa, quando ainda eram namorados. Esta belíssima canção estourou nas paradas do sucesso e resultou em 600 000 cópias vendidas.
Letra:
Meu Grito
Roberto Carlos
Se eu demoro mais aqui,/ eu vou morrer/ Isso é bom/ Mas eu não vivo sem você/ Eu não penso mais em nada/ A não ser só em voltar/ Vou depressa e levo o meu amor nas mãos/ Para lhe dar
Quando se está perdidamente apaixonado por alguém, a distância, os empecilhos, fazem a pessoa querer morrer de tanto amor. Mas ela rapidamente reflete: 'Mas eu não vivo sem você'. Então é melhor esperar... Não! Não dá pra esperar, ele vai depressa tentar encontrar com o seu amor.
Já não durmo/ Morro até só em pensar/ E se canto/ Só o seu nome quero gritar/ Mas se eu grito todo mundo/ De repente vai saber/ Que eu morro de saudade/ E de amor por você
Ansiedade... Dói não ter aquele amor aqui do lado... Mais uma vez tudo leva a entender um amor proibido... Ninguém pode saber desse amor...
Ai que vontade de gritar/ Seu nome bem alto no infinito/ Dizer que meu amor é grande/ Bem maior do que meu próprio grito/ Mas só falo bem baixinho/ E não conto pra ninguém/ Pra ninguém saber seu nome/ Eu grito só Meu Bem.

Clique no vídeo abaixo para ouvir esta linda canção.


domingo, 22 de julho de 2012

Morre Marcos Roberto, Cantor da Jovem Guarda



O cantor Marcos Roberto, de 71 anos morreu no último sábado (21) devido a falência múltipla dos órgãos. O cantor estava internado no Hospital Municipal Antônio Giglio, na cidade de Osasco, em São Paulo.

Seu velório foi realizado no cemitério municipal da cidade e o enterro no Cemitério Santo Antônio às 11 horas da manhã deste domingo (22). Uma funcionária do cemitério falou ao UOL e disse que alguns fãs do músico também estiveram presentes no local, além de familiares e amigos.

Marcos Roberto era cantor e compositor e fez sucesso entre as décadas de 1960 e 1980. A música "A última carta" foi seu maior sucesso,  ficando meses em primeiro lugar nas rádios e vendeu mais de dois milhões de álbuns. O cantor também era um dos nomes ligados à Jovem Guarda, nos anos 60.

Atualmente Marco trabalhava como produtor de novos cantores e bandas musicais e continuava compondo músicas. Entre os prêmios recebidos pelo compositor estão o troféu Chico Viola e vários discos de platina e diamante.

http://jornale.com.br/portal/entretenimento/71-01-entretenimento/25842-morre-marcos-roberto-cantor-da-jovem-guarda.html

Morre o cantor da jovem guarda Marcos Roberto

Ouça o seu maior sucesso...


sábado, 21 de julho de 2012

Grey Gardens, sonhos despedaçados. (1975)




No ano de 1973, um escândalo ocupou as manchetes dos jornais americanos. Autoridades locais de East Hampton, uma área residencial nobre no estado de Nova Iorque, tentaram expulsar mãe e filha de uma mansão decadente do balneário de luxo, alegando falta de condições sanitárias. Isso tudo pode acontecer por inúmeras razões, mas, neste caso, mãe e filha se tratavam das ex-socialites Edith Bouvier Beale e sua filha Edie, outrora pertencentes ao crème de la crème da sociedade novaiorquina. Não apenas este fato inflamava as notícias nos jornais, mas, sobretudo, por elas serem, respectivamente, tia e prima de Jacqueline Kennedy Onassis.




A vida intrigante e pertubadoramente interessante de Edith Bouvier Beale e sua filha Edie foi inicialmente tema do polêmico documentário dos irmãos Albert e David Maysles, "Grey Gardens," lançado em1975. Inovadores da técnica do "cinema direto," os irmãos aportaram na mansão de East Hampton com uma camera e um microfone nas mãos e algumas ideias na cabeça. O resultado produziu um compêndio de excentricidades, protagonizado por duas mulheres, cujos diálogos deixariam perplexos Tenesse Williams e Euguene O'Neil. Mas, Grey Gardens mostra muito mais do que isso. O documentário foi feito dois anos depois da reforma da casa, realizada por Jacqueline K. Onassis, mas ainda é possível sentir a presença do abandono, do descaso, do autoflagelo humano e da imundície na qual Big Edie e Little Edie, como eram conhecidas, mergulharam nos últimos 20 anos de convivência na mansão.
Big Edie, a mãe, cantava. Little Edie, a filha, tinha sido modelo e tentado ser atriz. Ao serem filmadas pelos Irmãos Maisley, o que elas revelaram não era tanto seu comportamento cotidiano, mas as suas interpretações artísticas frustradas no passado. Os Maisley ilustram bem isso ao abusar da imagem da bela pintura a óleo de Big Edie, na qual ela aparece como uma jovem de beleza ímpar, e que, no momento do filme, estava jogado em um canto do quarto, servindo como esconderijo para os gatos fazerem cocô e xixi.
Do lado de fora da mansão, o abandono não é menos pronunciado. Composta por grandes jardins e um velho casarão, a mansão estava tomada por lixo, detritos, gatos pestilentos, guaxinis e pulgas. Isoladas de tudo e de quase todos, eram incapazes de sustentar as necessidades de manutenção do casarão e deixavam a velha mansão ruir à sua volta, enquanto viviam em condições precárias
Dois anos depois, Big Edie e Little Edie, como eram conhecidas, abrem as portas para os documentaristas Albert e David Maysles. Câmera e microfone em punho, eles flagram escentricidades de duas mulheres que vivem isoladas há mais de 20 anos e travam diálogos dignos dos melhores textos de Tenesse Williams e Euguene O'Neil.

Este tema parecia, ao mesmo tempo, o mais improvável e o mais óbvio para um documentário. A relação particular entre duas mulheres isoladas do mundo, a tia e prima de Jacqueline Kennedy, constituía o material perfeito pelo fatos destas mulheres representarem a imagem perfeita do eterno sonho do estrelato, algo como um Crepúsculo dos Deuses em versão documental. Ao mesmo tempo, ninguém conhecia estas duas, que passavam despercebidas justamente por sua reclusão. Era preciso entrar no imenso casarão caindo aos pedaços para descobrir uma história das mais tristes e curiosas.

Neste local, a mãe octogenária vivia com a filha, com mais de cinqüenta anos, sem vida social, sem contatos com o resto da família. No entanto, este local imenso misturava, entre os ratos, o lixo e o resto de comida pelo chão, as imagens do tempo de glória de cada uma das duas mulheres. Fotos belíssimas, musicas gravadas pela mãe, convites e objetos dados de presente por pessoas famosas. Estas duas já foram, com certeza, duas grandes promessas de sucesso e fama; e seriam incapazes de aceitar o fracasso deste plano de vida.
O elemento interessante neste documentário consiste inicialmente em oferecer a duas mulheres histriônicas, que vivem da própria imagem fantasmática, a atenção e o sonho de estrelato sonhado. Sem ilusões, no entanto: os diretores deixam claro que este filme não tornará nenhuma das duas famosas, mas a pequena esperança já lhes é suficiente. Nasce então uma relação de sedução com a câmera, com as duas exibindo-se à imagem, mostrando seu melhor lado, vestindo-se bem e provando porque seriam indispensável nas vidas uma da outra – ou seja, porque a necessidade de cuidar uma da outra teria impedido que elas vivessem vidas independentes.

Grey Gardens é triste por ser o retrato mais cruel do fracasso da fama. Essas mulheres falharam como indivíduos sociais, e a pena que se infligem é isolar-se desta sociedade cruel e ingrata. O orgulho passa acima de todos os outros valores, neste espetáculo circense em que a filha, vestida com vestidos e capas, explica aos realizadores, no meio de um jardim seco e morto, as razões pelas quais estas seriam as melhores roupas para o dia.

O contraste entre o luxo imaginado e a precariedade real são tornados evidentes pela uso do cinema direto, sem comentários, sem situações criadas, sem grandes intervenções com trilha sonora ou luzes artificiais. Segundo os próprios diretores, eles pretendem ficar no fundo da ação, enquanto elas “fazem o que fazem”. Assim, não se sabe porque a filha teria voltado de Nova Iorque para morar com a mãe, porque ela cobriria sempre o rosto com um lenço, ou seja, não se tem muitos fatos que construíram esta situação de isolamento, mas os poucos elementos fornecidos permitem pensar, e construir sozinho este curioso quebra-cabeça.

Quando a câmera se instala no quarto imundo onde dormem as duas, as tensões aumentam, elas tentam evitar que digam coisas delicadas uma sobre a outra. Este medo que a imagem “revele a verdade” constitui a maior tensão para duas mulheres que sempre consideraram a imagem como um espelho dos sonhos. Ficam o mistério, cenas memoráveis de interação entre as mulheres e esta casa abandonada, e a sensação de que duas vidas foram inteiramente consagradas ao sonho despedaçado. Algo atroz.


http://www.interfilmes.com/filme_17065_grey.gardens.html
http://discurso-imagem.blogspot.com.br/2010/08/grey-gardens-1975.html
http://popupit.blogspot.com.br/2010/09/possiveis-inspiracoes-o-documentario-de.html
inemaconsciencia.blogspot.com.br/2009/10/grey-gardens-o-documentario.html
http://cinemaconsciencia.blogspot.com.br/2009/10/grey-gardens-o-documentario.html
Colaborador: Neto Lopes

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Você conheceu o tempo da palmatória?





Feitas em madeira de lei, com esferas exatamente do tamanho da palma da mão, a palmatória era o símbolo mais sinistro da ignorância e autoritarismo sem diálogo  dos pais e professores de antigamente. 
Ela estava presente em muitos lares antigamente, em uma parede bem visível da sala, como se em silêncio ficasse ameaçando costantemente as crianças para andarem "na linha".
Bastava o pai ou a mãe apontarem para ela com expressão séria , que o pavor tomava conta da meninada!
Os castigos mais famososcom a palamatória eram os "bolos"aplicados nas palmas de cada mão, ás vezes 5 em uma e 5 na outra, dependendo da extensão da malcriação. Parecia tortura da idade média!
A dor dos "bolos" fazia a criança " ver estrelas" literalmente!
A cruança fechava com fõrça a palma da mão em uma atitude de auto defesa, e a mãe ou o pai gritava furiosamente:- "Abra a mão! Se não abrir vou bater nos nós dos dedos!"
Os gritos da dor insuportável dos bôlos ecoavam pela vizinhança que tomava conhecimento de que uma criança estava sendo torturada pela palmatória.

Algumas escolas particulares, estaduais e municipais, tambem utilizavam a palmatória como método para intimidar e punir alunos que não faziam suas tarefasou não se comportavam bem em sala de aula.
Muitas vezes elas eram substituidas por réguas enormes de madeira ou plástico duro,  para assim o professor(a) poder alcançar mais facilmente o rebelde mais distante. Com ela, batiam no aluno nas pernas, nas costas, nos braços e na cabeça
O professor(a) parecia um feitor andando pela sala de aula brandindo o "porrete".
Não havia perigo de sofrerem represálias das autoridades educacionais competentes ou mesmo dos pais, que consideravam esta prática como normal e corriqueira.
A palmatória reinou absoluta por vários anos e muitos que estão lendo este post devem se lembrar dela.  Há quem questione que apesar de tudo ela foi eficaz para educar e que, se ainda continuasse sendo usada, talvez hoje não haveria tanta libertinagem, tantos jovens usuários de drogas e tantos descalabros acontecendo nos lares e nas ruas...
Particularmente, como filha de professores que jamais admitiram agressão física e por eles ter sido educada através de diálogo, amor e carinho, e por NUNCA ter apanhado deles, condeno veementemente qualquer prática que envolva agressão física e moral,  Considero que toda ação gera uma reação. A criança agredida com frequencia tende a se tornar agressiva. Ela aprende a punir, bater e torturar tambem.
Minha opinião é de  que o ser humano de qualidade é costruído sobre o alicerce do amor e respeito.

E você, qual sua opinião?

Pesquisas:
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/educacao/no-tempo-da-palmatoria
http://pt.wikipedia.org/wiki/Palmat%C3%B3ria
http://www.recantodasletras.com.br/cronicas/1913864
http://guiadoestudante.abril.com.br/vestibular-enem/palmatoria-ainda-usada-como-punicao-corporal-20-estados-norte-americanos-624001.shtml




O estranho acidente que matou o Marechal Castello Branco




Eu me recordo deste dia fatídico! . Sendo  um ex presidente da república, a tragédia tornou-se um fato histórico inesquecível,  de grande proporção.
Pesquisei notícias de jornais sobre o acidente e encontrei  este abaixo, que reproduz a tragédia e conta um pouco sobre a vida política do Marechal Castello Branco.

JORNAL DO COMÉRCIO
Notícias
19 de Julho de 1967 – Acidente aéreo mata de Castelo Branco
Acidente aéreo mata presidente da República. O avião em que viajava Humberto de Alencar Castelo Branco sofreu uma colisão com um jato da Base Aérea de Fortaleza. No acidente pereceram também o irmão do presidente, o sr Candido Castelo Branco e o Major Assis e Alba Frota.
        O Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco foi o  primeiro presidente do regime instaurado pelo Golpe Militar de 1964. Era filho do general Cândido Borges Castelo Branco e de Antonieta Alencar Castelo Branco, e pertencente à família do escritor José de Alencar.
        Nas vésperas de morrer, Castello Branco anunciara a realização de um pronunciamento à Nação. Aguardava-se, na fala que não chegou a acontecer, um posicionamento do chefe militar sobre o destino do País. A tensão era crescente. Havia tortura nos quartéis, protestos civis fora deles e uma luta interna entre os militares da chamada linha dura contra a corrente dos moderados. Castello Branco fora escolhido pelos generais para ocupar a Presidência da República a partir do golpe militar de abril de 1964. Considerado um moderado, favorável até mesmo à volta do poder político às mãos de um civil, retirou-se do Palácio do Planalto em 15 de março de 1967.
        No processo sucessório, foi pressionado a passar a faixa presidencial para o general da linha dura Arthur da Costa e Silva. Inimigo de seu sucessor, Castello Branco estava resolvido a contra-atacar. Uma palavra pública dele contra Costa e Silva poderia rachar a tênue unidade entre os militares, aquecer os ânimos da oposição civil e, assim, sacudir a história. Ele estava organizando com o Senador Daniel Krieger um movimento contra o endurecimento do regime.
        Castelo Branco morreu num acidente aéreo, mal explicado nos inquéritos militares, no dia 18 de julho de 1967. Um caça T-33 da FAB atingiu a cauda do Piper Aztec PA 23, no qual Castelo Branco viajava, fazendo com que o PA-23 caísse deixando apenas um sobrevivente.
        Durante seu mandato, Castelo Branco aboliu todos os treze partidos políticos existentes no Brasil, através do Ato Institucional número 2 (AI-2). Foram criados a Aliança Renovadora Nacional (ARENA) e o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que se tornaram os únicos partidos políticos brasileiros permitidos até 1979. Durante seu governo, Castelo Branco promoveu várias reformas políticas, econômicas e tributárias.
        Em seu governo foram baixados quatro atos institucionais: o primeiro, o "Ato Institucional" não era numerado, pois seria único, passou a receber o número 1 (AI-1), quando foi baixado o AI-2. Em seu governo promulgou vários decretos-leis, e 4 atos institucionais. Reprimiu as manifestações contrárias às atitudes do governo com severidade. Em janeiro de 1966 foi decretado o AI-3, que estendia o princípio da eleição indireta também aos governadores, assembleias estaduais e determinava que os prefeitos fossem nomeados pelos governadores locais.
        Em outubro do mesmo ano, o Congresso foi fechado, e no início de 1967 reaberto pelo AI-4 para se reunir extraordinariamente e aprovar a nova Constituição brasileira, quinta da história do Brasil e quarta desde a proclamação da República. O texto dessa Constituição submetido por Castelo Branco, aprovado aos 24 de janeiro de 1967, foi importante para que os militares dessem um ar de legalidade ao regime, e veio a fortalecer o poder Executivo, manteve as eleições indiretas e diminuiu a autonomia dos estados, embora mantivesse o Brasil como federação.
          
http://www.jcom.com.br/pesquisahistorica/leitura/134655

O estranho acidente que matou o Marechal Castello Branco

Nos últimos tempos, muitas "teorias de conspiração" ganharam fama pelo mundo, envolvendo, por exemplo, o atentado contra o World Trade Center e o Pentágono, o atentado de Lockerbie, a morte da Princesa Diana, e muitos outros mais. Mas é interessante conhecer uma dessas teorias que envolve o ex-Presidente do Brasil e Marechal Humberto de Alencar Castello Branco

Na ocasião do acidente, houve uma investigação, que concluiu que o choque foi acidental, que ambas as aeronaves estavam em um mesmo "corredor" em direção à Fortaleza, e que teria havido, possivelmente, falha do controle de tráfego aéreo. E ficou por isso mesmo, já que o Governo Federal, naquela época, controlava tudo com "mão de ferro", censurando a imprensa e calando a oposição.

Na verdade, Castello Branco era um moderado, que assumiu o governo em um momento muito conturbado da política brasileira. Sua verdadeira intenção era devolver o governo aos civis assim que a crise que o conduziu ao poder tivesse acabado. Isso ia contra os interesses de outros generais, que tencionavam se manter no poder sob a alegação de manter a paz e e ordem pública e manter os comunistas e a esquerda "radical" longe do governo.

Mesmo fora do governo, o Marechal Castello Branco tinha uma considerável influência no Exército Brasileiro, por ser um herói de guerra e por ter mantido a ordem pública em uma fase crítica da política brasileira. Em resumo, a presença de Castello Branco incomodava, e muito, os generais da "linha dura" que pretendiam se perpetuar no poder. E não haveria outro meio de meio desses generais se verem livres dele, senão matando-o.


Na manhã de 18 de julho, Castello Branco saiu do sítio da escritora Rachel de Queiroz, sua amiga, e decolou de Quixadá para Fortaleza a bordo do Aztec cedido pelo Governo do Ceará. Estavam a bordo do bimotor a escritora Alba Frota, o major Manuel Nepomuceno, o irmão do Marechal, Cândido Castello Branco, o comandante Celso Tinoco Chagas e o co-piloto Emílio Celso Chagas, filho do comandante. 


A operação de resgate das vítimas do acidente foi desastrosa: os oficiais e soldados da aeronáutica destroçaram o avião a machadadas e carregaram as vítimas nas costas, sem qualquer técnica. Como estas tinham danos na coluna vertebral pela posição de impacto, isso pode ter colaborado para agravar seus ferimentos.

O avião acidentado foi reconstruído e parcialmente restaurado, e encontra-se hoje no quartel do 23º Batalhão de Caçadores, em Fortaleza, no Ceará. A deriva arrancada pelo caça jamais foi encontrada. O caça também foi preservado e encontra-se hoje na Base Aérea de Fortaleza, como monumento, ao lado do prédio do Comando da Base.

http://culturaaeronautica.blogspot.com.br/2009/09/o-estranho-acidente-que-matou-o.html

Os funerais do ex presidente


terça-feira, 17 de julho de 2012

Grandes ídolos que partiram.






Elvis foi encontrado morto no horário das duas horas da tarde por sua namorada na época, Ginger Alden. Logo após, o seu corpo é levado ao hospital "Memorial Batista" e sua morte confirmada.A morte de Elvis Aaron Presley no dia de 16 de agosto de 1977, causada por colapso fulminante associado à disfunção cardíaca, surpreendeu o mundo.
Jim Morrisson, vocalista da banda "The Doors", símbolo de rebeldia, morreu aos 27 anos, em situações pouco esclarecidas na banheira de um hotel em Paris no dia 03 de Julho de 1971, especulações apontam para overdose.  
                                                                                      
Raul Seixas, cantor e compositor, suas letras eram cheias de simbologias e apologias a rituais de magia e ocultismo, parceiro de Paulo Coelho chegou a fundar a Sociedade Alternativa, faleceu de parada cardíaca associada a sua diabetes e alcoolismo em 21 de agosto de 1989.
Cássia Eller, cantora e compositora brasiliense tinha uma das mais marcantes vozes da MPB, homossexual assumida morreu de uma parada cardíaca em 21 de dezembro de 2001, especula-se que a parada tenha sido causada por overdose de cocaína e álcool.
Kurt Cobain, vocalista do Nirvana a maior banda grunge de todos os tempos, era depressivo e viciado em drogas, se suicidou aos 27 anos com um tiro de espingarda na cabeça, seu corpo foi encontrado por um eletricista em 8 de abril de 1994.
Jimi Hendrix, um dos maiores guitarristas do mundo, após uma overdose de remédios a base de barbitúricos, morreu aos 27 anos em 18 de novembro de 1970, desacordado no hospital afogado no próprio vômito.
Janis Joplin, Uma das vozes mais marcantes do Blues/Rock dos anos 60/70, morreu aos 27 anos de uma overdose de heroína em 4 de outubro de 1970.
Elis Regina, uma das mais belas vozes da MPB, morreu por overdose de cocaína, calmantes e álcool em 19 de janeiro de 1982.
Carmem Miranda, cantora e atriz luso-brasileira, sofrendo de depressão e dependente de remédios, tabaco e álcool, sofreu um colapso cardíaco fulminante que a derrubou morta sobre o chão em 5 de agosto de 1955.
Marilyn Monroe, atriz norte-americana, símbolo de sensualidade e popularidade, faleceu de overdose por ingestão de calmantes a base de barbitúricos em 5 de agosto de 1962 aos 36 anos. O evangelista Billy Graham encontrou-se com Marilyn algum tempo antes de sua morte e depois de lhe falar sobre Jesus ela disse ao evangelista que não precisava do Deus dele!
Bob Marley, responsável pela popularização do Reggae no mundo, era seguidor da religião rastafári e morreu de um câncer no cérebro que foi causado por uma lesão no dedo do pé que infeccionou e por crenças religiosas Marley não permitiu que fosse amputado, tornou-se uma infecção generalizada e mais tarde um câncer em seu cérebro, Marley defendia o uso da maconha como comunhão espiritual e era usuário da droga deliberadamente.
Renato Russo, líder da Legião Urbana, banda que influenciou gerações nos anos 80 e 90, era bissexual assumido , era soro positivo desde 89 e faleceu aos 36 anos, pesando apenas 45 quilos por complicações decorrentes do vírus da AIDS em 11 de outubro de 1996.
Cazuza, cantor compositor e poeta, considerado um dos maiores nomes da musica brasileira, era conhecido por ser rebelde, boêmio e polêmico, tendo declarado em entrevistas que era bissexual, foi o primeiro artista brasileiro a declarar publicamente ser soropositivo, morreu aos 32 anos em 7 de julho de 1990 por complicações decorrentes da AIDS. Em uma de suas canções Cazuza diz: Meus heróis morreram de overdose, fazendo referencias aos nomes da musica internacional que morreram dessa forma.
Freddie Mercury, vocalista do Queen, uma das bandas de rock mais famosas do mundo, era homossexual e morreu de AIDS em 24 de novembro de 1991.
John Lennon, vocalista do maior ícone do rock de todos os tempos "The Beatles", certa vez John disse que "Os Beatles eram mais famosos que Jesus Cristo e que o cristianismo era uma religião falida com seus ensinamentos ultrapassados... John morreu assassinado por um fã, que disse ter lido no livro "O apanhador no campo de centeio" uma mensagem para matar Lennon, que foi baleado por esse fã em frente ao prédio que morava em Nova York e morreu na noite de 8 dezembro de 1980 após perder quase 80% do sangue de seu corpo.
Mamonas Assassinas, tiveram uma carreira meteórica atingindo recordes de vendas em pouquíssimo tempo, gravaram apenas um disco que vendeu milhões de cópias, morreram em um trágico acidente de avião quando voltavam de um show em Brasília, no dia 2 de março de 1996 a aeronave em que viajavam colidiu na serra da Cantareira em São Paulo e todos os integrantes da banda morreram de forma trágica.
Ernesto "Che" Guevara, Guerrilheiro, ícone de rebeldia e resistência, a segunda imagem mais vendida do mundo é a de Che, em Cuba é adorado quase que religiosamente, foi capturado pelo exército Boliviano em 8 de outubro de 1967 e executado um dia depois.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

LP "Sua Paz Mundial" 1973 - História e músicas.


Nos anos 60 e 70, a Mundial era uma das várias AMs cariocas que tinham uma programação predominantemente musical. Seu grande sucesso veio com a chegada do radialista e DJ Big Boy, que assumiu a direção geral da rádio. Big Boy implantou uma programação pop extremamente inteligente e ágil. Uma programação que não deixava de tocar bons nomes da música popular. Por isso, é impossível falar da Mundial AM e do rádio do Rio dos anos 70 sem falar de Big Boy, um dos melhores radialistas da história. O
 próprio Big Boy apresentou alguns dos melhores e bem-sucedidos programas da Mundial. Neles, ele aproveitava sua experiência como DJ no Rio de Janeiro. Nos Bailes da Pesada promovidos em diversos lugares da cidade, como o Canecão e clubes do subúrbio, Big Boy apresentava as principais novidades da música pop. Nos anos 70, ele ajudou na explosão da black music e do funk original, muito superior ao insosso funk carioca surgido nos anos 80 e 90. A morte prematura de Big Boy iniciou a decadência da rádio, o que se tornou inevitável com o surgimento e popularização das FMs. A Mundial AM 860 foi extinta em 1992. A CBN, que havia sido criada experimentalmente na freqüência AM 1180, foi transferida para os 860 kHz, onde está até hoje. Essa coleção de álbuns traz os grandes sucessos da programação dos anos 70.
 SUA PAZ MUNDIAL VOLUME 1 SONZÃO JOVEM 1973 PARTE UM, é disco de faixas interligadas, parecido um pouco com sgt peppers, e com efeitos sonoros e montagens, feita na Radio Mundial de São Paulo participava no elenco Big Boy, que viajava pelo mundo trazendo novidades em novos artistas.

Músicas do LP "Sua Paz Mundial", vol 1,Bonzão Jovem 1973

A1. Elton John - Skyline Pigeon
A2. Nicole Croisille - Pillow Talk
A3. The Supremes - Bad Weather
A4. Chrystian - I Could Never Imagine
A5. Françoise Hardy - Fleur de Lune
A6. Simon Butterfly - Rain Rain Rain

Lado B:
B1. Myrian Ross - Armed and Extremely Dangerous
B2. Nathan Jones - I’ve Been Around
B3. The Chakachas - Push Together
B4. Gladys Knight & The Pips - Neither One of Us
B5. Track - The Mexican
B6. Eumir Deodato e Rosco & The Prophetic Band - Also Spreach Zarathrustra



Vamos ouvir as músicas deste antológico LP,considerado um dos 10 mais importantes do mundo.


http://viagemusical-diversos.blogspot.com.br/2008/06/sua-paz-mundial.html
http://www.youtube.com/watch?v=QyuP-0EoMc0

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Os dez mais importantes LP's do mundo






EM TODOS OS CONTINENTES DO PLANETA TERRA, foram produzidos, feitos LP de vinil, milhões e milhões, America do norte, America central, America do sul, Oceania, áfrica, Europa, Ásia.
Agora, o difícil é a pergunta. Quais os 10 mais Lp's que foram importantes para a humanidade, deram frutos, influência.
são eles.
HENRI SALVADOR M. BOUM-BOUM 1963
A HARD DAYS NIGHT(OS REIS DO IE IE IE) 1964
SECOS & MOLHADOS 1973
SUA PAZ MUNDIAL VOLUME 1 SONZÃO JOVEM 1973 VARIOS ARTISTAS
DARK SIDE OF MOON PINK FLOYD 1973
SATURDAY NIGHT FEVER(OS EMBALOS DE SABADO A NOITE) BEE GEES E VARIOS1977
SELVA DE PEDRA INTERNACIONAL VARIOS ARTISTAS 1972
EU SOU O ESPETACULO JOSÉ VASCONCELOS 1960
THRILLER MICHAEL JACKSON 1982
ROBERTO CARLOS EM RITMO DE AVENTURA 1967
Agora uma observação que faço, é que os artistas da ERA VINIL nunca perderão a majestade. Os artistas da era CD nunca chegaram aos pés dos artistas da era vinil. A realidade é essa, basta citar, Elvis Presley, Beatles, Rolling Stones, Pink Floyd, Michael Jackson, Roberto Carlos, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Pixinguinha, etc.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

O Expresso Da Meia-Noite 1978 -Filme Completo - Dublado em Português

Moulin Rouge Show Paris






Fundada em 1889, o Moulin Rouge surgiu com o objetivo de atrair a elite parisiense para a região de Montmartre, um bairro marginalizado na época FOTOS DO MOULIN ROUGEGUIA DE PARISASSISTA A UM SHOW DO MOULIN ROUGE Fundada em 1889 pelos empresários Joseph Oller e Charles Zidler, a casa surgiu com o objetivo de atrair a elite parisiense para a região de Montmartre, um bairro marginalizado na época. A dupla encontrou nos frou-frous das saias das dançarinas, na música contagiante e nos passos do can can a atração inovadora e envolvente que buscava para caracterizar e promover o cabaré na cidade. Como todo estabelecimento artístico, o Moulin Rouge passou ao longo de sua trajetória por inúmeros momentos de glória e fracasso. No entanto, o cabaré se tornou um dos símbolos da história de Paris, inspirando a produção de dois filmes (os homônimos "Moulin Rouge", um de 1952, dirigido por John Huston e o mais recente, de 2001, dirigido por Baz Luhrmann, com Nicole Kidman e Ewan McGregor no elenco) e pintores como Henri de Toulouse-Lautrec. É um dos poucos lugares que, por 120 anos, mantém o estilo e o glamour da época em que foi criado e continua atraindo centenas de visitantes. http://viagem.uol.com.br/ultnot/2009/10/06/ult4466u732.jhtm O cancan é uma dança francesa.Desde 1850, Céleste Mogador, dançarina vedete do Bal Mabille, em Paris - que mais tarde se juntaria a orquestra do cabaré Moulin Rouge - inventou uma dança nova, a quadrilha: Oito minutos para cortar a respiração em harmonias perfeitas e com Offenbach como mestre da música incontestável. A quadrilha era composta por meninas de 1,70 metro de altura, vestindo roupas coloridas e esvoaçantes, com liberdade de movimentos, ao som de trombones e cornetas. A nova dança foi considerada um ritmo endiabrado, de contrapeso, flexibilidade, em passos extremos de sensualidade e acrobacias, em que as dançarinas, em seu traje fascinante, faziam perder a cabeça de toda a Paris. Em Londres, em 1861, Charles Morton, inspirado pela quadrilha francesa, inventou o cancan. O termo refere-se aos ruídos provocados pelos passos marcados da própria dança. Enquanto na Inglaterra a dança chocava os ingleses, que chegavam a condená-la como "indecência", na França, o cancan não parava de crescer, mantendo como quesitos as dançarinas de 1,70 m, e a arte de mexer os quadris, levantar as saias e frou-frous, exibindo as jarreteiras, encantando e provocando o desejo no público entusiasmado. Algumas das grandes damas do cancan francês foram Louise Weber (La Goulue), Jane Avril e Yvette Guilbert. O cancan foi tema inspirador para muitos pintores do impressionismo, como Toulouse-Lautrec. Alguns cabarés tornaram-se internacionalmente famosos pelo cancan, como o Moulin Rouge e o Chat Noir Louise Weber (La Goulue),

Vamos assistir aos shows no Moulin Rouge em Paris? Aqui a entrada é franca!

domingo, 8 de julho de 2012

Let's Make Love - Marilyn Monroe (1961)

Robin Hood , um mito "fora- da- lei"

Robin Hood na Floresta de Sherwood

Quem foi Robin Hood?
Robin Hood (conhecido em Portugal como Robin dos Bosques) é um herói mítico inglês, um fora-da-lei que roubava dos ricos para dar aos pobres, aos tempos do Rei Ricardo Coração de Leão. Era hábil no arco e flecha e vivia na floresta de Sherwood. Era ajudado por seus amigos "João Pequeno" e "Frei Tuck", entre outros moradores de Sherwood. Teria vivido no século XIII, gostava de vaguear pela floresta e prezava a liberdade. Ficou imortalizado como "Príncipe dos ladrões". Tenha ou não existido tal como o conhecemos, 
"Robin Hood" é, desde sempre, por motivos que as versões às vezes alteram, um fora-da-lei. As referências históricas  sustentam várias teorias a respeito da sua existência

"Robin Hood" é, para muitos, um dos maiores heróis da Inglaterra.

Robin Hood no cinema
Robin Hood, de 1922, com Douglas Fairbanks no papel principal;
As Aventuras de Robin Hood, de 1938, com Errol Flynn no papel principal—considerado a versão mais marcante do filme;
Rogues of Sherwood Forest, de 1950, com John Derek no papel de Robin;
The Story of Robin Hood and His Merrie Men, de 1952, com Richard Todd no papel de Robin, lançada pelos Estúdios Disney;
Robin Hood, de 1973, em formato de desenho animado, e lançada pelos Estúdios Disney. Nessa versão, todos os personagens da história foram transformados em animais, que agiam como humanos: "Robin Hood" e "Lady Marian", por exemplo, viraram raposas e o "Príncipe João" e o "Rei Ricardo" viraram leões.
Robin and Marian,dirigido por Richard Lester,lançado em 1976, com Sean Connery no papel de Robin e Audrey Hepburn como Lady Marian. Mostra um Robin Hood já idoso voltando das cruzadas após 20 anos;
Robin Hood, o príncipe dos ladrões, lançada em 1991, com Kevin Costner no papel principal;
A comédia Robin Hood: Men in Tights, de 1993, dirigida por Mel Brooks.
Robin Hood, lançado em 2010, dirigido por Ridley Scott e com Russell Crowe no papel-título.
Robin Hood - o Herói dos Ladrões (1991), com Patrick Bergin no papel-título.

Abaixo o filme completo de Walt Disney para relembrar o épico de Robin Hood  em desenho animado.




As Aventuras de Robin Hood, de 1938, com Errol Flynn no papel principal -considerado a versão mais marcante do filme. Vejam o trailer

http://pt.wikipedia.org/wiki/Robin_Hood

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Gypsy,um dos melhores musicais de todos os tempos, estréia na Broadway.


Há 50 anos, estreava na Broadway um dos melhores musicais já produzidos no país dos musicais. Título: “Gypsy”. Subtítulo: “A musical fable” (A Fábula Musical).  Sucesso na Broadway, “Gypsy” já ganhou várias montagens, numa prova de que resiste ao tempo e às modas. 

O produtor teatral David Merrick folheava a revista Harper’s quando ficou boquiaberto com um artigo: era um capítulo do livro de memórias da lendária stripper Gypsy Rose Lee, publicado naquele mesmo ano de 1957. Trata-se de uma história extraordinária, sobre a menina que, ao lado da irmã, era empurrada pela mãe obsessiva para uma improvável carreira de sucesso no teatro de vaudeville, mas, por conta das circunstâncias, tornou-se famosa em “shows para adultos”.

De posse do material, Merrick convocou uma trinca de ouro (o escritor Arthur Laurents, o diretor e coreógrafo Jerome Robbins e o compositor Stephen Sondheim), que já grafara seu nome na história da Broadway dois anos antes com o clássico West Side Story, para criar um grande musical. Assim nasceu Gypsy, que se tornou eterno já em sua estreia em 1959 e cuja versão nacional chega ao Brasil.

A produção original da Broadway abriu em 21 de maio de 1959, O Teatro Broadway e, posteriormente, transferido para o Teatro Imperial , funcionando por 702 performances após dois previews. O show foi produzido por David Merrick e dirigido / coreografia de Jerome Robbins . Ethel Merman estrelou como Rose, com Jack Klugman como Herbie e Sandra Igreja como Louise. As orquestrações, incluindo uma abertura emocionante,  foram fornecidos por Sid Ramin e Ginzler Robert .
Crítico Frank Rich se referiu ao trabalho de Robbins como uma das encenações mais influentes de um musical na história do teatro americano.  A produção original recebeu oito Tony Award nomeações, incluindo Melhor Musical, Melhor Atriz em um Musical, Melhor Ator em destaque uma Atriz, Melhor Musical em destaque em um Musical, Melhor Cenografia, Melhor Figurino e Melhor Direção de um Musical, mas não conseguiu vencer nenhum.
Quando o show fechado em março de 1961, duas empresas de turismo nacionais visitou os EUA. A primeira empresa estrelou Merman e inaugurado em março de 1961 no Rochester, New York Auditorium, e fechou em dezembro de 1961 no American St. Louis , Missouri . A segunda empresa nacional estrelou Mitzi Verde como Rose, seguido por Mary McCarty, e um jovem Bernadette Peters em papéis de ensemble vários. Foi inaugurado em setembro de 1961 no Teatro Shubert , Detroit e fechado em janeiro de 1962 a Hanna, Cleveland , Ohio .

Básicamente, trata- se da história de Mama Rose que determina que sua filha mais nova irá ter uma carreira de sucesso, mas depois a filha  foge.
Mama vira toda a sua atenção para a filha mais velha, menos talentosa, Loise, que se torna uma stripper burlesca chamada Gypsy Rose Lee. 
Ela se torna então uma famosa stripper no teatro burlesco. Chega a ganhar o status de “mulher mais aclamada do mundo”.
No início da peça, ao narrar a infância das protagonistas.
Louise , a filha mais velha,  cresce e em um clima bem “patinho feio”. Seu desafio é provar a si mesma o talento que tem e que sempre reprimiu.



O musical inclui muitas canções que se tornaram padrões populares, incluindo "Small World","Need Is the Girl "e" Turn Rose "
Gypsy’ em São Paulo – Teatro Alfa: Temporada: 23/07 a 17/10






Natalie Wood- Gipsy 1962

BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/wiki/Gypsy:_A_Musical_Fable&prev=/search%3Fq%3Dgypsy%2Bbroadway%26hl%3Dpt-BR%26biw%3D1066%26bih%3D544%26prmd%3Dimvns&sa=X&ei=7Xn3T-TRE-qQ6wGYjdTvBg&sqi=2&ved
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://broadwaymusicalhome.com/shows/gypsy.htm&prev=/search%3Fq%3Dgypsy%2Bbroadway%2BORIGINAL%2BEM%2B1959%26hl%3Dpt-BR%26biw
http://abtmblog.wordpress.com/

9 de julho, o Estado de S Paulo comemora a Revolução Constitucionalista, com feriado estadual..

Voluntário Paulista na Revolução Constitucionalista



Para os paulistas, a Revolução de 1932 transformou-se em símbolo máximo do Estado, a exemplo da Guerra dos Farrapos para os gaúchos. Lembrada por feriado no dia 9 de julho, a revolução é mais fortemente comemorada na cidade de São Paulo do que no interior do Estado, onde a destruição e mortes provocadas pela rebelião são ainda recordadas.

O dia 9 de julho, o estado de São Paulo comemora o aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932. A data representa um marco importante na história do estado e do Brasil. O movimento exigiu que o país tivesse uma Constituição e fosse mais democrático.

Na época, Getúlio Vargas ocupava a presidência da República devido a um golpe de Estado, aplicado após sua derrota para o paulista Julio Prestes nas eleições presidenciais de 1930. O período ficou conhecido como "A Era Vargas". A Revolução Constitucionalista de 1932 representa o inconformismo de São Paulo em relação à ditadura de Getúlio Vargas. Podemos dizer que o Brasil teve quase uma guerra civil. 

Uma das principais causas do conflito foi a ruptura da política do café-com-leite - alternância de poder entre as elites de Minas Gerais e São Paulo, que caracterizou a República Velha (1889-1930). Alijada do poder, a classe dominante de São Paulo passou a exigir do governo federal maior participação. 

Como resposta, Getúlio Vargas não apenas se negou a dividir poder com os paulistas como ameaçou reduzir seu poder dentro do próprio estado de São Paulo, com a nomeação de um interventor não paulista para governar o estado. Os paulistas não aceitaram as arbitrariedades de Getúlio Vargas, o que levou ao conflito que opôs São Paulo ao resto do país.

Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo, o MMDC
Vários jovens morreram na luta pela constituição. Entre eles, destacam-se quatro estudantes que representam a participação da juventude no conflito: Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo, o célebre MMDC. O movimento marcou a vida de outros milhares de paulistanos e brasileiros. 

Governistas X constitucionalistas
No dia 9 de julho, o Brasil assistiu ao início de seu maior conflito armado, e também a maior mobilização popular de sua história. Homens e mulheres - estudantes, políticos, industriais- participaram da revolta contra Getúlio e o governo provisório de São Paulo. 



O desequilíbrio entre as forças governistas e constitucionalistas era grande. O governo federal tinha o poder militar e os rebeldes contavam apenas com a mobilização civil. As tropas paulistas lutaram praticamente sozinhas contra o resto do país. As armas e alimentos eram fornecidos pelo próprio estado, que mais tarde conseguiu o apoio do Mato Grosso.

Cerca de 135 mil homens aderiram à luta, que durou três meses e deixou quase 900 soldados mortos no lado paulista - quase o dobro das perdas da Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial. 



Cartaz da Campanha de Alistamento

Embora o movimento tenha nascido de reivindicações da elite paulista, ele teve ampla participação popular. Um dos motivos foi a utilização dos meios de comunicação de massa para mobilizar a população. Os jornais de São Paulo faziam campanha pela revolução, assim como as emissoras de rádio, que artingiam audiência bem maior. 

Até hoje, a história da Revolução de 32 é mal contada. Ou, pelo menos, é contada de duas formas. Há a versão dos governistas (getulistas) e a dos revolucionários (constitucionalistas). Durante muito tempo, a versão dos getulistas foi a mais disseminada nos livros escolares do país, mas hoje, com uma maior participação dos professores na escolha do material didático, a história também já é contada sob a ótica dos rebeldes. 

Cartaz da Campanha de Alistamento


A importância do movimento é incontestável. Seu principal resultado foi a convocação da Assembléia Nacional Constituinte, dois anos mais tarde. Mesmo assim, a Revolução de 32 continua como um dos fatos históricos do país menos analisados, tanto no tocante às causas quanto em relação às suas conseqüências. Os livros didáticos ainda trazem pouco sobre o tema.

O fato culminante para a Revolução foi a morte de cinco jovens no centro da cidade de São Paulo, assassinados por partidários governistas, dando origem ao movimento de oposição MMDC (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo), hoje MMDCA.

Jornal "O Estado de São Paulo" (original) de 25 de agosto de 1932 trazendo a notícia dos primeiros paulistas que gloriosamente tombaram pela causa Constitucionalista do Brasil.

A Revolução estendeu-se por três meses e terminou com a derrota das forças paulistas. Apesar da vitória sobre os paulistas, Vargas adotou uma atitude conciliatória, convocando eleições para a escolha dos deputados que comporiam a Assembléia Constituin­te para maio de 1933. Assim, a Revolução Constitucionalista, mesmo derrotada militarmente, atingiu seu objetivo: a elaboração de uma nova Constituição para o País.

São Paulo, depois da revolução de 32, voltou a ser governado por paulistas, e, dois anos depois, uma nova constituição foi promulgada, a Constituição de 1934.



Catanduva na revolução de 32.

Antonio Ortega de Haro e Josué de Grande foram jovens catanduvenses que perderam suas vidas durante a revolução DE 32. Esses rapazes deixaram suas famílias e foram se juntar às tropas revolucionárias paulistas. Infelizmente, jamais voltaram a ver sua querida Catanduva, porém, deixaram um exemplo de amor a Pátria e civismo, que devemos nos orgulhar até hoje.

Mais informações sobre Ortega e Josué neste Blog:
http://clubedosentasdecatanduva.blogspot.com.br/2011/02/irmaos-ortega-e-josue-

Veja o vídeo de um movimento cívico jamais visto no Brasil...


Fontes de pesquisa:
ttp://educacao.uol.com.br/historia-brasil/revolucao-constitucionalista-em-1932-elite-paulista-reage-a-ditadura.jhttp://www.itu.com.br/conteudo/detalhe.asp?cod_conteudo=10101
http://voluntariosdepiracicaba.blogspot.com.br/2012_03_01_archive.html http://pt.shvoong.com/books/239080-revolu%C3%A7%C3%A3o-constitucionalista-1932/#ixzz1zyJ9Pr5U