Visite tambem o novo Blog.

Visite tambem o novo Blog Relembre os acontecimentos dos anos 80 a 2000 : http://www.yzbrasil.blog.br/

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Lembram dos monóculos?



Sucesso total depois das férias e das festinhas... 

sábado, 20 de abril de 2013

Johnny Mathis atravessando 6 décadas!




Embora frequentemente descreva-se como um cantor romântico, sua discografia inclui um vasto número de estilos: jazz, pop tradicional, brasileiro e música espanhola, soul/R&B, soft rock, e Broadway/Tin e outros padrões. Ele desfrutou um pouco de visibilidade no cinema cedo, quando cantou um dos seus primeiros sucessos, "It's not for me to say", no filme Lizzie no qual também teve um papel suplente pequeno. Também é mundialmente conhecido por "A Time For Us", tema do filme "Romeu e Julieta" de Franco Zeffirelli, uma das mais conhecidas, clássica e famosa adptação para o cinema da obra literária de Willian Shakespeare, em 1968. Mathis também permanece altamente sinônimo da música natalina, depois de ter gravado seis álbuns de Natal. Ao todo, foram mais de 130 álbuns gravados e vendido mais de 200 milhões de cópias em todo o mundo. Ele tem a distinção de ter a permanência mais longa de qualquer artista de gravação no selo da Columbia Records, depois de ter estado com o rótulo de 1956 a 1963 e de 1968 até o presente. Ele é um dos poucos cantores cuja carreira atravessou seis décadas.



Algumas das canções de grande sucesso incluem "Evie", "My love for you", "Maria" (trilha sonora de West Side Story), "Chances are", "It´s not for me to say", "Wonderful! Wonderful!", "The twelfth of never", "Wild is the wind", "Mundo Divino", "Misty", "Pequeno", "A certain smile", "Gina", "What will my Mary say", "On a clear day (You can see forever)", "Eu estou na Casa ao Lado", "When a child is born", "Gone, Gone, Gone", "Too much, too little, too late" (com Deniece Williams), "Last time I felt like this" (com Jane Olivor), e "Friends in love" (com Dionne Warwick).
Mathis teve muito mais sucesso como um artista de álbuns. Os álbuns dele alcançaram sucesso em parte devido à reputação dele como um acompanhamento para sexo. Alguns dos álbuns célebres dele incluem "Heavenly", "A time for us", "Faithfully", "Open Fire, Two Guitars", "Warm", "Swing Softly", "Johnny's Mood", e "I'll Buy You a Star".




" Oitentão", Mathis continua apresentando-se e gravando regularmente. Seu mais recente álbum é "Let It Be Me - Johnny in Nashville", lançado em 2010.








Brasil
J

Johnny Mathis com Agostinho dos Santos (1971)












sexta-feira, 19 de abril de 2013

Moda feminina nos anos 50


A década de 50 marcou diversos eventos no Brasil e no mundo. A televisão chegou para o Brasil, o Brasil faturou uma copa e diversas descobertas no campo da tecnologia e da ciência foram feitas em prol de vários avanços que influenciaram e muito na vida contemporânea. Junto às mudanças, descobertas e lançamentos, a moda esteve quente lançando diversas tendências que marcaram as vestimentas femininas da década de 50. Uma peça muito usada nos mais variados modelos eram os vestidos. Você pode montar um look bem moderno e arrojado usando vestidos dos anos 50.









O primeiro tipo de beleza era marcado pela ingenuidade e pela elegância. Grace Kelly e Audrey Hepburn eram ótimos exemplos de mulheres que possuem esse tipo de característica. Já o outro tinha como principal característica a sensualidade e o charme, encarnado pelas atrizes Rita Hayworth e Ava Gardner.                        Não podemos esquecer-nos de Marilyn Monroe e Brigitte Bardot, que foram ícones da sensualidade na década de 50 e serviram de inspirações para diversas grifes do mercado, aliás, esses dois símbolos de sensualidade ainda servem de inspiração para muitos estilistas e marcas de grifes famosas.



Para saber mais sobre a moda dos 50, um filme que mostra e relata perfeitamente a época é “Nos tempos da brilhantina”. Você vai encontrar muitos vestidos e saias rodadas com o comprimento batendo no meio da batata da perna, cinturas marcadas, rabo-de-cavalo, meias soquetes e sapatos de boneca.
 ícones da sensualidade na década de 50 e serviram de inspirações para diversas grifes do mercado, aliás, esses dois símbolos de sensualidade ainda servem de inspiração para muitos estilistas e marcas de grifes 

famosas.



Dirty Dancing - Time of my Life (Final Dance) - Uma cena famosa com   a saia dela rodando sensualmente durante a dança! Lindo se morrer!