Visite tambem o novo Blog.

Visite tambem o novo Blog Relembre os acontecimentos dos anos 80 a 2000 : http://www.yzbrasil.blog.br/

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Parabéns professor pelo seu dia!


Minha mãe, Professora Iacira

Deixo aqui meus sinceros agradecimentos e manifesto meu profundo respeito e admiração a todos professores que passaram pela minha vida, proporcionando o alicerce á minha formação e educação!







No Brasil, o Dia do Professor é comemorado em 15 de outubro.
No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila), Pedro I, Imperador do Brasil baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, "todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras". Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A ideia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima - caso tivesse sido cumprida.
Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia efetivamente dedicado ao professor.
Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como "Caetaninho". O longo período letivo do segundo semestre ia de 1 de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a idéia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa – e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.
O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, Piracicaba, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. A sugestão foi aceita e a comemoração teve presença maciça - inclusive dos pais. O discurso do professor Becker, além de ratificar a idéia de se manter na data um encontro anual, ficou famoso pela frase " Professor é profissão. Educador é missão". Com a participação dos professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a idéia estava lançada.
A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_professor

Verdades da Profissão de Professor
Paulo Freire

 Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que seus filhos sejam professores. Isso nos mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário, mas que permitimos que esses profissionais continuem sendo desvalorizados. Apesar de mal remunerados, com baixo prestígio social e responsabilizados pelo fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho. A data é um convite para que todos, pais, alunos, sociedade, repensemos nossos papéis e nossas atitudes, pois com elas demonstramos o compromisso com a educação que queremos. Aos professores, fica o convite para que não descuidem de sua missão de educar, nem desanimem diante dos desafios, nem deixem de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda.

http://www.mensagenscomamor.com/frases_para_professores_e_Professoras.htm

Há pessoas que não gostam quando falamos do passado comparando-o com os fatos do presente, mas sabemos da importância da história como base para tirarmos exemplos que são benéficos a nossa contemporaneidade.
Lembro que na época de estudante do ensino primário e secundarista, dos anos setenta aos anos oitenta, a educação era uma atividade dinâmica dentro da sociedade e a escola uma instituição respeitadíssima. A escola e os professores eram respeitados em qualquer debate ou assuntos referentes aos dois e o governo investia consideravelmente no setor educacional.
Creio que os alunos da escola atual ficariam com inveja se soubessem que nas décadas passadas nós tínhamos quatro meses de férias, isso mesmo, quatro meses; julho, dezembro janeiro e fevereiro tanto nas escolas particulares como nas públicas e o ensino tinha qualidade. A escola publica era eficiente igualmente às escolas particulares. O nível de ensino poderia ser igual ou superior às escolas particulares. As filas eram enormes para se conseguir uma matrícula nas escolas públicas, as particulares não eram procuradas por ser paga, mas porque as públicas tinham a mesma qualidade de ensino ou sem medo de errar uma qualidade bem superior. As escolas particulares tinham como clientes somente os ricaços, a elite abastada.
Os programas que hoje mantém as escolas públicas são muito parecidos com os de antigamente, inclusive sempre existiu merenda escolar, só que de outras formas, com outro nome. Ontem como hoje os recursos existem são suficientes para manter as escolas publicas.
Podem acreditar estudei numa escola pública que tinha ônibus do governo do estado para transporte de alunos, duas Kombi’s Perua, uma para a direção e outra transportavam professores e funcionários de suas casa para a escola, recursos materiais em abundancia, sobravam resmas de oficio. As avaliações todas mimeografadas, o dinheiro corria frouxo nas escolas. Podiam cobrar uma taxa simbólica dos alunos, tanto para o bolso da farda como das provas e ainda uma contribuição para o caixa escola. Nas competições estudantis competíamos com as mesmas condições de material esportivo como bolas oficiais e em quantidade satisfatória para treinar as modalidades existentes, ternos esportivos completos e pasmem a escola publica era a única que tinha ginásio coberto e polivalente, uma das quadras mais procuradas de nossa cidade.
Nossos professores tinham status de autoridades. Ai de quem desrespeitasse um professor. Expulsão na certa da escola e a transferência constava a infração do aluno exemplificando o ato para quando chegar na outra escola sabe qual o motivo, caso fosse agressão ao professor geralmente esse aluno não era aceito. Geralmente só aceitavam esse tipo de alunos as escolas particulares. Os inversos de hoje, tudo que é aluno indisciplinado jogam para a rede publica de ensino.
Não vou fazer mais inveja aos que lêem esse texto, porem é tudo verdade, vivíamos no céu e não sabíamos.
Hoje é um Deus nos acuda, a escola publica é de fazer vergonha aos que precisam dela. Quem viveu no passado a educação e vive a realidade de hoje fica realmente horrorizado com o que vê. Escolas sucateadas, professores desvalorizados, submissos, despreparados, o clientelismo político determina o funcionamento da escola e comanda direção e professores, corrupção profunda sendo aceita pela comunidade escolar, viram o rosto esquivando-se da responsabilidade social para combater esse mal. Violência, impunidade, trafico de drogas, assaltos constante ao patrimônio escolar fazem parte do nosso cotidiano. Ninguém fiscaliza ou toma providencias sérias com fiscalização, investigação e punição dos culpados.
Quem perde e quem ganha com isso? Perdem todos que precisam de uma educação de qualidade para se preparar para a vida e ganham os Corruptos, políticos irresponsáveis, caloteiros, traficantes, ladrões e tudo que é cafajeste tirando o direito a uma educação digna para os menos favorecidos financeiramente. Tudo é de propósito e orquestrado pelos corruptos e aceito por todos, uma lastima.
Talvez sejam estes que não querem saber de como funcionava a escola antigamente, para a juventude atual não saber e se revoltem com a porqueira que estão recebendo como educação.
Um aluno na década de sessenta quando terminava o colegial que hoje corresponde ao ensino médio tinha conhecimentos suficientes para se torna um professor e hoje chegam vergonhosamente a concluir o ensino médio como semi-analfabetos. São poucos os que superam dando exemplos de perseverança.
TEM OLHOS E NÃO VÊEM, TEM OUVIDOS E NÃO OUVEM.
PROFESSOR WILLIAM PEREIRA DA SILVA
Enviado por PROFESSOR WILLIAM PEREIRA DA SILVA em 03/10/2008

http://www.recantodasletras.com.br

Poderá gostar tambem de "Nossa alfabetização, nossas cartilhas". Vide nas postagens populares no menú do lado esquerdo.

2 comentários:

Valéria disse...

"SE NÃO FOSSE IMPERADOR, GOSTARIA DE SER PROFESSOR." (D.PedroII)

obrigada Mariângela...
uma vez Professor, sempre Professor", mesmo aposentada, como eu;
ser professor é "Atuar no Palco da Escola, na gratificante ARTE de ensinar."

Mariangela disse...

Lindo Valéria!
A profissão do professor é abençoada!

Todos deveriam valorizar muito mais a importancia do papel que p professor tem na sociedade e como ele tem o trunfo nas mãos de tornar o mundo melhor, com pessoas melhores e mais qualificadas.
Que os futuros governantes deste país, remunerem justamente estes profissionais, de acordo com sua real e merecida importancia. Obrigada por enaltecer este Blog com seu apropriado comentário!Bjs!